Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

06 Dezembro de 2017 | 19h05 - Actualizado em 06 Dezembro de 2017 | 19h05

Egipto: Liga Árabe considera provocação mudança da embaixada dos EUA para Jerusalém

Cairo - O secretário-geral da Liga Árabe, Ahmed Abulgueit, classificou como provocação injustificada a intenção dos Estados Unidos de reconhecer Jerusalém como capital de Israel e de mudar a sua embaixada para esta cidade.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ahmed Abul Gheit, Secretário-geral da liga árabe

"A manipulação da situação de Jerusalém é uma provocação injustificada contra os sentimentos dos árabes - sejam muçulmanos ou cristãos - pelo seu valor religioso", disse Abulgueit.

Além disso, o secretário-geral pediu que todos os líderes do mundo falem sobre esse assunto com os Estados Unidos para impedir que o governo de Donald Trump tome essa "decisão desastrosa".

O líder da Liga Árabe pediu também que os países que ainda não reconheceram a Palestina como Estado que o façam.

A Liga Árabe convocou nesta quarta-feira uma reunião de emergência para o próximo sábado.

A organização expressou preocupação com as intenções dos EUA nos últimos dias, por considerar que o reconhecimento pode destruir totalmente o processo de paz e representar uma ameaça à segurança e à estabilidade na Palestina e na região.

Jerusalém Oriental, que os palestinianos reivindicam como capital do seu futuro Estado, é ocupada por Israel desde a Guerra dos Seis Dias (1967). A área foi anexada em 1980 após uma decisão unilateral israelita que não foi reconhecida pela comunidade internacional.

Actualmente, todos os países mantêm as suas embaixadas em Tel Aviv. A mudança que deve ser feita pelos EUA seria entendida como o reconhecimento da soberania de Israel sobre toda Jerusalém, incluindo a parte ocupada.

Assuntos Egipto  

Leia também