Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

15 Junho de 2017 | 12h10 - Actualizado em 15 Junho de 2017 | 12h10

Tanzânia aceita negociar com empresa autora de fraude no sector de minas

Dar-Es-Salaam - A Tanzânia aceitou negociar com a empresa mineira canadiana Barrick Gold, que o país acusa de operar ilegalmente e de fugir ao fisco, diz um comunicado do governo emitido quarta-feira.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Tanzânia: John Magufuli Presidente que denunciou fraudes no sector mineiro

Foto: Daniel Hayduk

A Barrick é accionista maioritária da Acácia Mining, registada em Londres, que o relatório de uma comissão presidencial disse, esta semana, não estar registada para operar na Tanzânia e que não tem pago os devidos impostos, na ordem de biliões de dólares americanos.

No entanto, a  Barrick refuta as alegações.

Quarta-feira, o presidente executivo da Barrick, John Thornton, chegou à Tanzânia para se encontrar com o presidente John Magufuli depois de informações sobre as alegações terem provocado uma queda das acções da companhia.

A Barrick está pronta para negociar com o governo tanzaniano o reembolso do dinheiro perdido pela Tanzânia como resultado das operações da companhia no país, diz um comunicado da presidência  que não avança detalhes.

Segundo o comunicado, Thornton está pronto para dialogar com o governo tanzaniano no interesse de ambas partes e pagar o que é devido à Tanzânia.

Magufuli acusou a companhia, esta semana, perante as câmaras de televisão, de “roubar-nos”, mas aceitou a proposta de diálogo.

O chefe do estado disse que um comité especial vai ser formado, com vista a um acordo sobre o reembolso do dinheiro devido à Tanzânia e como é que a companhia vai de agora em diante conduzir as suas operações, no interesse de ambas as partes.

Segunda-feira, uma comissão do governo disse que a fraude no sector de mineração custou à Tanzânia 84 biliões de dólares americanos num período de 19 anos e acusou as companhias estrangeiras de não declarar as suas receitas.

A Tanzânia é rica em minerais e ocupa o quarto lugar entre os países produtores de ouro no continente africano.

O ouro é o principal produto mineiro de exportação do país e uma das suas principais fontes de receita.

O país (Tanzânia) também exporta cobre, níquel, prata, diamantes e outras pedras preciosas, tais como a tanzanite.

Em Março, a Tanzânia disse estar a banir a exportação de minérios não processados para promover o desenvolvimento do sector de processamento de minérios, criar novos empregos localmente, e aumentar as receitas geradas pelo sector.

O comunicado de quarta-feira também diz que Thornton tinha concordado em que a Barrick vai “cooperar” na construção de uma fundição na Tanzânia.

Semana passada Magufuli exonerou o Ministro das Minas depois de receber um relatório de geólogos que dizia que as companhias mineras sub-declaram as suas exportações para pagarem menos impostos.

O relatório dizia que a má gestão do sector significava que os funcionários eram incapazes de dizer que quantidades ou que tipo de minérios estavam a ser exportados.

Assuntos Tanzânia  

Leia também
  • 12/06/2017 11:55:29

    Tanzânia: Governo assina contrato para expansão do porto de Dar-es-Salaam

    Dar-es-Salaam - O governo da Tanzânia assinou n o fim-de-semana um contrato no valor de 145 milhões de dólares com a companhia estatal China Harbour Engineering Company (CHEC) para a expansão do principal porto do país, na capital, Dar-es-Salaam.

  • 24/05/2017 17:18:11

    Tanzânia: Presidente exonera ministro das Minas

    Dar Es Salaam - O Presidente da Tanzânia, John Magufuli, exonerou hoje, quarta-feira, o ministro das Minas, Sospeter Muhongo, após ter recebido um relatório sobre subvalorização pelas empresas das suas exportações mineiras, causando perdas fiscais ao Estado, anunciou a Presidência da República num comunicado.

  • 04/05/2017 15:26:41

    Tanzânia: Extraditado barão da droga para os Estados Unidos

    Dar-Es-Salaam - O governo tanzaniano extraditou segunda-feira para os Estados Unidos o barão de droga Ali Khatid Haji Hassan, acusado de ser o cabecilha de uma rede mundial de tráfico de cocaína e de heroína pela Justiça americana, noticia hoje, quinta-feira, a AFP.