Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

14 Junho de 2018 | 10h59 - Actualizado em 14 Junho de 2018 | 10h58

África do Sul: Nascimento de um movimento para combater a desigualdade entre os sul-africanos

Joanesburgo - Nasceu recentemente na África do Sul um movimento chamado Federação para a Transformação Económica Radical (FFRET), apoiado pelo antigo Presidente da República, Jacob Zuma.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Jacob Zuma, o promotor do FFRET

Foto: Angop

Segundo o “Le Monde”, o FFRET é uma organização não classificada, que organiza  “reuniões de negócios”, uma espécie de organizações que militam pelo acesso a um leque fechado de uma economia dominado por monopólios invisíveis, uma antiga herança sul-africana legada do tempo do apartheid.

O movimento é também um grupo de pressão ligado ao antigo Presidente, Jacob Zuma.

No seu primeiro encontro, em Durban, o FFRET reuniu centenas de pessoas que debateram questões como os negócios e as desigualdades radicais, que ouviu testemunhas e reflexões sobre como mudar a África do Sul, 20 anos depois do evento da democracia e a economia ainda controlada por brancos.

Forçado a abandonar o poder em Fevereiro, antes da conferência, Zuma escolheu a FFRET como das urgências nacionais, sem definir claramente as suas linhas de actuação.

No dia 08 de Junho, o FFRET apareceu no tribunal do Durban, para apoiar Jacob Zuma.

Os intelectuais vêem no FFRET uma via para uma indispensável redistribuição do acesso às riquezas, numa sociedade ainda ameaçada ferozmente, que ameaça explodir por causa das desigualdades.

Assuntos África  

Leia também