Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

10 Setembro de 2019 | 17h19 - Actualizado em 10 Setembro de 2019 | 17h18

Justiça moçambicana condena mulher a 22 anos de prisão

Maputo - O Tribunal Superior de Recurso de Maputo condenou a 22 anos de prisão uma mulher acusada de envolvimento na morte de um magistrado do Ministério Público encarregado de investigar raptos em Maputo, escreve hoje o diário Notícias.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A mulher, Edith Cylindo, foi condenada em instância de recurso, após ser absolvida pelo Tribunal Judicial da Cidade de Maputo, que considerou haver insuficiência de provas.

O Tribunal Superior de Recurso de Maputo (TSR) considerou nula a absolvição e responsabilizou Edith Cylindo de ser quem identificou, seguiu e forneceu imagens fotográficas de Marcelino Vilanculos, magistrado do Ministério Público, para o  assassinato, a 11 de Abril de 2016.

Os autores de homicídio de Marcelino Vilanculos consideravam o magistrado um obstáculo aos crimes de rapto que na altura assolavam a capital moçambicana.

O magistrado acabou morto a tiro em Maputo através de uma AK-47.

O TSR considerou que pela sua participação no crime, Edith Cylindo iria receber 500 mil meticais (7.300 euros).

Para a justiça moçambicana, a arguida foi contratada por José Ali Coutinho, acusado de delinear o plano de homicídio do magistrado e alvo de uma investigação por alegada participação em crimes de rapto.

José Coutinho foi apanhado morto nos arredores de Maputo, após ser tirado à força de uma viatura prisional por homens armados, quando era transportado para um interrogatório no tribunal em Maputo.

A morte de Marcelino Vilanculos levou a classe dos magistrados moçambicanos a realizarem uma série de acções públicas de pressão ao executivo para o reforço das medidas de protecção daqueles profissionais.

Assuntos Justiça   Moçambique  

Leia também
  • 10/09/2019 16:32:17

    ONU diz que Moçambique é corredor de grandes volumes de droga

    Maputo - O Gabinete das Nações Unidas contra a Droga e o Crime (UNODC) alertou hoje que Moçambique se tornou num corredor de grandes volumes de substâncias ilícitas, principalmente, heroína, defendendo uma maior cooperação internacional para a prevenção desse mal.

  • 09/09/2019 23:16:08

    Jornalista tchadiano a contas com justiça por difamação em França

    Paris - O jornalista tchadiano Makaila Nguelba deverá comparecer diante da justiça francesa, a 17 de Setembro, para responder a um processo por difamação ao governador do Banco dos Estados da África Central (BEAC), Abbas Mahamat Tolli, noticia a Pana, na capital francesa.

  • 06/09/2019 19:03:16

    Moçambique: Missa no Zimpeto marca fim da visita do Papa

    Maputo - O Papa Francisco visitou esta manhã o Hospital de Zimpeto, antes de celebrar uma missa no Estádio de Zimpeto e a cerimónia de despedida no aeroporto de Maputo (Moçambique), de onde partirá o avião papal para Antananarivo, Madagáscar.