Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

04 Dezembro de 2018 | 13h17 - Actualizado em 04 Dezembro de 2018 | 13h41

Baía representa plataforma importante para desenvolvimento do país

Luanda - A Baía de Luanda representa uma plataforma importante para o desenvolvimento socioeconómico do país, albergando vários serviços do ecossistema, como portos, refinarias, actividades desportivas e de recreação.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Victória de Barros Neto, Ministra das Pescas e do Mar

Foto: Lino Guimarães

Essa afirmação foi feita hoje, terça-feira, em Luanda, pela ministra das Pescas e do Mar, Victória de Barros Neto, na cerimónia de lançamento do "Projecto avaliação ecológica da Baía de Luanda", que vai permitir conhecer a funcionalidade ecológica do local.

Segundo a ministra, o contínuo desenvolvimento urbano e industrial nas zonas periféricas da baía são identificados como as principais causas de fragmentação e perda da integridade ecológica deste ecossistema sensível.

Para isso, prosseguiu a ministra, a situação exige adopção de medidas de gestão integrada, que visa a criação de um ambiente mais resistente aos impactos gerados pelos diferentes serviços do ecossistema, de modo a estabelecer-se o equilíbrio entre a necessidade de conservar o património da baía e do desenvolvimento económico.

“Esse equilíbrio só será possível alcançar com informações cientificamente fundamentadas sobre o actual estado da Baía de Luanda e com a inclusão de todos os utilizadores deste ecossistema, para que a geração presente e futura possa beneficiar dos serviços e estes contribuírem para o crescimento azul”, disse.

Victória de Barros Neto explicou que em 2009 o governo deu início a um grande projecto de requalificação da baía de Luanda, com destaque para a requalificação da marginal da Baía, cuja concessão foi adjudicada a empresa Luanda Waterfront Corporation, através da sociedade Baía de Luanda e o projecto também prévia a dragagem de 27 hectares destinados a construção de lotes de apartamentos.

Os resultados deste projecto servirão de linha de base para um melhor ordenamento deste espaço marinho, uma vez que a previsão das respostas ambientais às acções de reabilitação e mitigação das actuais ameaças à Baía de Luanda, permitirá a elaboração de cartas de riscos ambientais e a implementação de programas de monitorização para obtenção de vários cenários do estado ecológico da Baía.

Para a obtenção destes cenários, a ministra explicou ser necessário juntar sinergias com várias áreas do saber, ficando satisfeita porque o projecto é uma parceria científica entre diferentes instituições de investigação e académicas de Portugal e de Angola.

O projecto para além da comunidade científica envolverá também as comunidades locais, sendo sua pretensão que fossem contemplandas as questões do género para as mulheres das zonas periféricas poderem vir a beneficiar dos serviços deste importante ecossistema.

Assuntos Ambiente  

Leia também