Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ciência e Tecnologia

24 Setembro de 2020 | 17h26 - Actualizado em 12 Outubro de 2020 | 09h15

Inacom e parceiros criam plataforma de diálogo

Luanda- O Instituto Angolano das Comunicações (INACOM), as operadoras e as associações dos consumidores, decidiram, a partir desta quinta-feira, em Luanda, a criação de uma plataforma de diálogo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Leonel Augusto, PCA do INACOM

Foto: JOAQUINA BENTO

Dístico do INACOM

Foto: Lino Guimaraes

A  decisão saiu de um encontro  entre  o INACOM, operadoras  e  associações  dos  consumidores, que visou auscultar as associações dos consumidores e as operadoras e discutir assuntos  transversais, entre as quais  a necessidade da  melhoria da  comunicação entre ambos.

Em  declarações  à  imprensa, o Presidente do Conselho  da  Administração  do Inacom, Leonel  Augusto, salientou que,  doravante, haverá  encontros trimestrais, com a finalidade  de colher das  associações dos  consumidores as  suas  grandes  inquietações  e  por parte das  operadoras as soluções para os consumidores.

Em relação  as  actualizações do  tarifário, que  entra em vigor  no  próximo  mês de Outubro, o  responsável adiantou os serviços  de  telefonia móvel mantém o valor de  100  utts  em mil  kwanzas.

Já em relação  as  operadoras  de Tv  por  saliente  e  por fibra  óptica, a actualização  será  de  23 a 26 por cento, respectivamente.

De acordo  com  o responsável,   as  operadoras,  em função   da situação  macroeconómica,  deram entrada  ao processo para  actualizar  os  preços  de alguns serviços, apontando como factor a desvalorização  cambial , uma  vez que  80  por cento do pagamento dos serviços é feito no exterior  do país.  

"Do exercício  foi feito   com  o comité de preços,  que  integram representantes   dos ministérios das  Finanças,  das Telecomunicações, foi identificado   um perigo  do ponto  de  vista  da sustentabilidade      das  empresas, razão pela qual houve a determinação para o ajustamento dos preços dos serviços", explicou  o  responsável.   

Informou que o aumento não abrange o  pacote básico, mais usado por clientes com um poder de compra reduzido.

O encontro contou com as presenças dos representantes  da Unitel, Movicel, Inadec, Addic, Tv Cabo, Dstv e a Zap.

Assuntos Angola  

Leia também