Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

13 Junho de 2018 | 09h17 - Actualizado em 13 Junho de 2018 | 11h24

Mundial2018: África procura primeira presença nas meias-finais

Luanda - O continente africano antes de "sonhar" com um título mundial vai procurar, pela primeira vez, marcar presença nas meias-finais do Campeonato do Mundo. O máximo que conseguiu foi chegar aos quartos-de-final, por intermédio dos Camarões (1990), Senegal (2002) e Ghana (2010).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Logo da caf

Foto: José Falso

Os ghanenses foram os que mais próximos chegaram. Com o jogo empatado a uma bola (1-1), já no prolongamento, beneficiaram de uma grande penalidade, mas Asamoah Gyan falhou. O jogo foi aos penalties e o Uruguai acabou por vencer e passar à fase seguinte.

Este ano, na Rússia, uma nova tentativa de chegar ao menos as meias-finais. Egipto, Marrocos, Nigéria, Senegal e Tunísia têm a responsabilidade de colocar África na semi-final, pela primeira vez na história do continente.

Entre os representantes do continente “berço”, a Nigéria, com cinco, é a que mais presença tem em mundiais seniores. Estrearam em 1994, nos Estados Unidos, e seguiram-se os campeonatos de França (1998), Coreia e Japão (2002), África do Sul (2010) e Brasil (2014), realizando no total 18 jogos, com o saldo de dez derrotas, cinco vitórias e três empates. A melhor qualificação é os oitavos-de-final alcançado em 1994, 98 e 2014.

A Tunísia participou em quatro Campeonatos do Mundo, tendo começado na Argentina em 1978, onde terminou no nono lugar, sua melhor posição. Foi a primeira selecção africana a conquistar uma vitória no Mundial, vencendo o México por 3-1. Disputou também as provas na França (1998), Coreia do Sul e Japão (2002) e Alemanha (2006). O seu principal objectivo é passar, pela primeira vez, à fase de grupos. Tem 12 jogos com uma vitória, quatro empates e sete derrotas.

Vinte anos depois, Marrocos regressa à fase final do Mundial. A semelhança dos tunisinos, marroquinos também tem quatro presenças confirmadas, com destaque para os oitavos-de-final alcançado no México em 1986. Ficou pela fase de grupos no México (1970), Estados Unidos (1994) e  França (1998), totalizando 13 jogos, com um saldo de duas vitórias, quatro empates e sete derrotas. No entanto, foi em 1970 que conquistou o primeiro ponto de um país africano na prova, ao empatar diante da Bulgaria (1-1).

Egipto “viveu” muito cedo as emoções de um Campeonato do Mundo, estreou-se em 1934 sendo a primeira africana a fazê-lo, logo na segunda edição do evento. Contudo, não é das mais participativas, regressando pela segunda vez apenas 56 anos depois, na Itália em 1990. Nos quatro jogos disputados empatou dois e averbou igual número de derrotas.

O Senegal tem uma presença em fase finais do Mundial, é que menos participações tem entre os cinco representantes africanos na Rússia 2018. Em 2002, na organização conjunta Coreia do Sul e Japão, surpreendeu o mundo vencendo a França na primeira jornada e se qualificando para os quartos-de-final, melhor classificação de uma selecção africana. Tem cinco jogos com duas vitórias, dois empates e uma derrota.

(Por Nelson Pascoal)

Leia também
  • 16/06/2018 00:16:07

    Mundial2018: Nigéria estreia-se com dever acrescido

    Luanda - Com o dever de fazer melhor que o Egipto e Marrocos, neste início do Campeonato do Mundo de futebol, que decorre na Rússia, a Nigéria defronta sábado a Croácia, em jogo de estreia do grupo D.

  • 15/06/2018 18:12:47

    Mundial2018: Marrocos perde com autogolo

    Luanda - A selecção de Marrocos perdeu nesta sexta-feira com o Irão, por 0-1, com autogolo do defensor Bouhaddouz , no jogo estreia do grupo B, do Campeonato do Mundo de futebol, que decorre na Rússia.

  • 15/06/2018 16:56:40

    Mundial2018: "Trabalhamos muito as bolas paradas" - Óscar Tabárez

    Ecaterimburgo - "Trabalhamos muito as jogadas de bola parada. Às vezes a bola entra e outras não, mas executamos muito este tipo de lances, e felizmente marcamos um", analisou o seleccionador do Uruguai, Óscar Tabárez

  • 15/06/2018 16:41:18

    Mundial2018: "Fizemos um grande jogo" - Hector Cúper

    Ecaterimburgo - "Fizemos um grande jogo contra um grande adversário. O que me deixa chateado é termos perdido numa jogada de bola parada, mas, hoje, demos tudo o que podíamos dar. Não nos podemos queixar de nada", considerou hoje o seleccionador egípcio Hector Cúper.