Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

09 Janeiro de 2018 | 20h19 - Actualizado em 09 Janeiro de 2018 | 20h19

Cabinda: Polícia vai penalizar pescadores ilegais

Cabinda - Os pescadores que exercerem a actividade de forma ilegal na costa marítima da província de Cabinda serão penalizados, advertiu hoje o comandante provincial da Policia Nacional, comissário Eusébio de Almeida e Costa.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Comissário, Eusébio Domingos e Costa- Delegado do Minint e Comandante da Policia em Cabinda

Foto: Angop

Eusébio Domingos e Costa  fez essa advertência num encontro com os pescadores locais devido às violações sistemáticas às normas de segurança e à proibição da pesca junto das plataformas petrolíferas.

Disse que os pescadores correm muitos sobretudo os que colocam suas âncoras junto das plataformas e amarram as cordas das embarcações nos pilares da sonda em actividade petrolífera.

O comandante da polícia em Cabinda indicou ainda que para além dessas graves irregularidades, existem pescadores que roubam placas solares, baterias e outros meios nas plataformas prejudicando a actividade petrolífera.

Constituem também violações dos pescadores, segundo o oficial, o tráfico de combustível para as Republicas do Congo e Democrática do Congo, auxílio à imigração ilegal, incumprimento das regras e normas de navegação e falta de documentação e autorização para actividade comercial.

O responsável disse ainda que dispõem de meios de navegação suficientes e de radares para fazer um trabalho mais contundente e permanente contra os que exercem a actividade ilegalmente.

Exortou os armadores a colaborarem e a participarem de modo activo na implementação das medidas de colocação, nas embarcações, de placas metálicas de sinalização, chapas de matrícula bem como outros meios de navegação e de sinalização sob pena de perderem as embarcações.

Existem em Cabinda, 232 embarcações, duas mil e 225 filiados à associação provincial dos pescadores e mil e 471 não associados , 474 peixeiras e oito cooperativas.

Participaram do encontro membros do conselho consultivo da delegação do Ministério do Interior e do comando provincial da polícia nacional bem como representantes das direcções provinciais das pescas, da Capitania do Porto de Cabinda, do departamento de Securança da Chevron e a Associação de Pesca de Cabinda.

Assuntos Província » Cabinda  

Leia também
  • 15/03/2018 14:42:29

    Caio Porto adquire embarcações para pescadores

    Cabinda - Quatro embarcações para pesca artesanal serão construídas nos próximos dois meses e entregues aos pescadores das Aldeias de Caio, Chiazi e Buco-Mazi, num financiamento da Caio Porto, avaliado em três milhões e 400 mil kwanzas. a COPESA-Ginamar.

  • 11/03/2018 12:16:47

    Cabinda: Caio Porto entrega embarcações artesanais as comunidades locais

    Cabinda - A concessionária do Porto de Águas Profundas do Caio, denominada Caio Porto, vai entregar proximamente aos pescadores das comunidades do Caio Litoral e circunvizinhas, quatro embarcações de construção artesanal, no âmbito do Programa de responsabilidade social comunitário, que visa corresponder com as expectativas sobre o impacto económico que vai gerar a construção daquela que será a maior infra-estrutura portuária da província.

  • 27/02/2018 12:29:35

    Mais de cinco mil hectares para cultivo de Cacau e Café

    Cabinda - Mais de cinco mil hectares de terra estão preparados nos quatro municípios da província, Cabinda-sede, Cacongo, Buco-Zau e Belize, para relançar o cultivo de cacau, café e palmar, no âmbito do programa de auto suficiência alimentar e combate à pobreza.

  • 23/02/2018 12:00:41

    Ministro dos Transportes satisfeito com obras do Porto do Caio

    Cabinda - O ministro dos transportes, Augusto da Silva Tomás, mostrou-se satisfeito com o andamento das obras em curso do Porto de Águas Profundas do Caio em Cabinda, iniciadas há dois anos.