Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

06 Dezembro de 2018 | 17h05 - Actualizado em 06 Dezembro de 2018 | 18h46

País só produz 6% do arroz que consome

Luanda - Angola consome 400 mil toneladas de arroz por ano, mas só produz 25 mil toneladas, correspondentes a seis por cento do total do seu consumo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ensaio de novas tecnologias no cultivo do arroz no Bié (Arquivo)

Foto: Angop

Na mesma ordem do arroz, está a soja, cujas necessidades anuais do país variam entre os 220 a 240 mil toneladas ano, mas produz apenas 30 toneladas por ano.

Para reverter o quadro, o país, que possui boas condições climáticas, enormes quantidades de água e extensões de terras aráveis, precisa apenas de investidores nos mais diversos segmentos agrícolas, afirmou hoje o director nacional da Agricultura, José Carlos Bettencourt.

O gestor realçou que o diferencial, entre o arroz produzido e o que se consome no país, representa uma boa oportunidade de negócios para quem queira investir nestes domínios.

Em relação aos subsídios para o sector agrícola, o director, que falava para uma plateia de empresários nacionais e italianos, num fórum sobre agro-negócios, informou que dentro em breve sairá um diploma sobre subsídios à Agricultura.

Entretanto, disse ser necessário resolver-se a problemática do crédito à agricultura, pois o estado não pode bonificar os subsídios a todos produtos, mas as culturas prioritárias para a produção interna e para a exportação.

Beneficiarão de subsídios, entre outras, empresas que produzem, isto é, aos investidores que apostem na produção. “ Na produção de sementes e de outros insumos agrícolas

Explicou que o Ministério da Agricultura e Floresta trabalhará nos subsídios aos insumos agrícolas.

O fórum, promovido pela Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (Aipex) em parceria com a Agência Italiana de Comércio (ITA), contou com a participação de sete empresas da Itália e várias nacionais do sector agrícola, que manifestaram interesse em importar bens agrícolas de Angola.

Assuntos Economia  

Leia também
  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 02/02/2019 07:25:27

    Metas do Prodesi passam por financiamento bancário

    Luanda - Os bancos comerciais terão papel fundamental, através da disponibilização do crédito, nos projectos do Programa de Apoio à produção, diversificação das exportações e substituição das importações "PRODESI", argumentaram economistas ouvidos pela Angop.

  • 02/02/2019 06:20:13

    Economistas consideram oportuna revisão do OGE/2019

    Luanda - O economista Lopes Paulo considerou nesta quinta-feira, em Luanda, um imperativo a revisão em baixa do Orçamento Geral do Estado (OGE/2019), com preço referência do barril de petróleo a situar-se entre 50 a 55 dólares.

  • 01/02/2019 20:07:05

    Construção da barragem de Baynes estimada em USD 1,2 mil milhões

    Cacuso - A construção da barragem hidroeléctrica Binacional de Baynes, com início previsto para 2021, no rio Cunene, fronteira entre Angola e a Namíbia, está estimada em 1,2 mil milhões de dólares, avançou hoje (sexta-feira), em Malanje, o ministro angolano da Energia e Águas, João Baptista Borges.