Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

13 Março de 2018 | 19h07 - Actualizado em 13 Março de 2018 | 19h15

Ministério da Agricultura reafirma garantia da qualidade dos produtos importados

Luanda - O Ministério da Agricultura e Florestas reafirma o seu compromisso em trabalhar para garantir que os alimentos importados tenham a qualidade necessária para o consumo humano.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Carnes e enchidos sob vigilância rigorosa (arquivo)

Foto: Vieira Aspirante

A garantia surge na sequência da ocorrência de um surto epidémico de "Listeriose" nos humanos, na República da África do Sul, provocada pela contaminação de carnes processadas prontas para consumo, conhecida como “Polony”, produzidas pelas empresas sul-africanas Enterprise Food e Rainbow Chicken Limited (RCL Food).

A propósito deste surto, provocado por uma bactéria disseminada na África Austral, a partir de alimentos produzidos na África do Sul, até ao momento as autoridades angolanas ainda "não registaram nenhum caso de Listeriose" no país, segundo uma fonte do Ministério da Agricultura e Florestas, em declarações hoje à Angop.

A fonte assegurou ainda que as autoridades angolanas continuam a recolher as amostras de diversos produtos para serem analisadas e posteriormente ter um diagnóstico mais abrangente.

Considerando o risco que a "Listeriose" representa para a Saúde Pública, o Instituto dos Serviços de Veterinária do Ministério da Agricultura e Florestas determinou a retirada e destruição imediata das carnes processadas, enchidos e embalagens de comida pré-cozinhada das marcas Enterprise Food e Rainbow Chicken Limited, produzidas na África do Sul.

De acordo com uma nota de imprensa do Ministério da Agricultura e Florestas, chegada hoje à Angop, os consumidores devem prestar atenção as referências dos produtos e proceder a sua destruição imediata, caso os tenham adquirido, devendo para o efeito contactar a autoridade veterinária local, autoridades sanitárias e policiais.

"As estruturas competentes devem intensificar as medidas de policiamento e controlo sanitário em todos estabelecimentos comerciais, postos fronteiriços (terrestres, marítimos e aéreos) ", lê-se na nota.

A "Listeriose" é uma infecção causada pela bactéria gram-positiva Listeria monocytogenes. As pessoas podem consumir a bactéria em lacticínios, legumes e verduras crus ou carnes contaminadas.

Febre, calafrios e dores musculares, além de enjoo, vómito e diarreia, constituem os principais sintomas deste surto.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a epidemia já é considerada originária da África do Sul, que começa a se espalhar pela África Austral, tendo atingido mais de mil pessoas.

A OMS considera ainda esta doença como a mais grave existente actualmente no mundo.

Leia também
  • 02/02/2019 12:56:57

    Huíla: Caluquembe necessita de mais 50 técnicos agrícolas

    Caluquembe - O município de Caluquembe, a cerca de 193 quilómetros a norte do Lubango, província da Huíla, precisa de pelo menos 50 técnicos agrícolas para dar resposta às 225 associações e 50 cooperativas de camponeses nas comunas da Sede, Calepi e N'gola, que compreendem a circunscrição.

  • 02/02/2019 10:08:20

    Huíla: Caluquembe colhe 15 toneladas de café arábico em 2018

    Caluquembe - Quinze toneladas de café arábico foram colhidas no ano agrícola de 2018 no município de Caluquembe, província da Huíla, registando um aumento de mais sete toneladas em relação a 2017, anunciou hoje (sábado) o director local da Agricultura, Pecuária e Pescas, Eliseu José.

  • 31/01/2019 20:13:58

    Governador preocupado com o estado de abandono dos campos agrícolas

    Banga - O governador provincial do Cuanza Norte, Adriano Mendes de Carvalho, manifestou-se preocupado com o estado de abando dos campos agrícolas do município da Banga, ocupados por alguns empresários da região.

  • 31/01/2019 15:53:36

    Angola tem produção significativa de manga

    Luanda - Angola não necessita de importar mais produtos como manga, milho e feijão, por serem culturas que abundam no país e por haver condições para produzi-las em grande escala, afirmou nesta quinta-feira, o secretario de Estado da Agricultura e Florestas, José Bettencourt.