Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

10 Julho de 2018 | 16h48 - Actualizado em 10 Julho de 2018 | 16h50

Cabinda tem escassez de combustíveis há 15 dias

Cabinda - A cidade de Cabinda regista uma escassez de gasóleo e de gasolina há duas semanas e está a provocar enormes filas de automóveis e motociclos nas bombas de combustíveis.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Ângulo da cidade de Cabinda

Foto: Angop

Uma vista da cidade de Cabinda (Arquivo)

Foto: Pedro Parente

A propósito da situação, a direcção regional da Sonangol Distribuidora, negou falar sobre o assunto, sem orientação do conselho de administração da empresa.

De igual modo, os proprietários dos postos de abastecimentos de combustíveis do Serrano, Macaia e Manuel da Eira, recusaram-se a falar à Angop sobre as razões da falta de gasóleo e gasolina na cidade de Cabinda, capital da província com mesmo nome.

Entretanto, automobilistas e concidadãos mostraram-se descontentes com a situação e pediram soluções imediatas à Sonangol.

Alguns avançaram a necessidade de uma refinaria na região com vista a ultrapassar a situação das insuficiências de stocks de combustíveis.

Segundo os automobilistas, a construção de uma refinaria na região ultrapassaria também os constrangimentos provocados pelas marés altas (Calemas), que impedem o transporte marítimo e de combustível de Luanda para Cabinda.

A Angop soube que desde a construção, há mais de 20 anos, do Terminal Oceânico de Cabinda (TOC),   localizado na aldeia de Fútila, cerca de 25 quilómetros a norte da cidade de Cabinda, junto do Complexo Petrolífero do Malongo, os  reservatórios de combustíveis de gasolina, gasóleo, petróleo iluminante e Jet-Fuel, já não se ajustam às necessidades da província.

O petróleo iluminante e o Jet-Fuel vêm de uma pequena refinaria que se encontra no campo de Malongo e que também refina gasolina em pequenas quantidades somente para os meios das operadoras que se encontram no complexo do Malongo.

A escassez de combustíveis em Cabinda é uma situação que se repete. A última vez que aconteceu a Sonangol justificou estarem na base da ruptura dos stocks a impossibilidade de reposição, em consequência de altas marés na costa marítima de Cabinda, ou seja, das calemas que surgem nestas alturas do mês de Julho.

 Em Dezembro de 2017, a Sonangol assegurou o aumento das capacidades de combustíveis à província, isto é, dos seus reservatórios de gasóleo e gasolina de 15 mil e 300 metros cúbicos para 40 mil metros cúbicos, para este ano de 2018, capacidades que continuam a ser insuficientes devido ao crescimento do parque automóvel e às dificuldades de recepção do navio Tanque, na costa de Cabinda.

Assuntos Província » Cabinda  

Leia também
  • 20/06/2018 16:56:11

    Cabinda vai construir novo mercado fronteiriço em Massabi

    Cabinda - Um novo mercado fronteiriço vai ser construído este ano pelo governo da província de Cabinda na comuna de Massabi, região vizinha de Kouilou (Congo Brazaville), visando oferecer melhores condições de comércio, higiene e segurança dos vendedores.

  • 20/06/2018 16:09:15

    Empresas autorizadas retomam exportação de madeira

    Cabinda - As três empresas legalizadas para exportar madeira na província de Cabinda foram autorizadas a retomar as suas operações ainda dentro desta semana, disse o ministro do Comércio, Jofre Van-Dúnem Júnior.

  • 18/06/2018 17:41:51

    Empresários de Cabinda querem facilidade no acesso às divisas

    Cabind - Empresários de Cabinda pediram nesta segunda-feira, nesta cidade, aos bancos comerciais facilidades no acesso às divisas, para continuidades das suas actividades.