Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

09 Agosto de 2018 | 14h30 - Actualizado em 09 Agosto de 2018 | 19h15

Crescimento económico depende da classe empresarial

Lubango - O crescimento económico e social da região Sul depende do empenho da classe empresarial que deve desenvolver negócios nos vários sectores, para diversificar a economia, defendeu, quarta-feira, no Lubango, o governador da Huíla, João Marcelino Typinge.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ao falar na abertura da 15ª edição da maior bolsa de negócios da Região, “Expo-Huíla2018”, que reúne 250 empresários, entre nacionais e estrangeiros, o governante disse que a política económica do Estado tem por objectivo o  crescimento sustentável mesmo em contexto difícil, visando o aumento em quantidade e qualidade de bens e serviços produzidos.

Da parte do governo da província, disse, a abertura e a colaboração é total, no intuito de junto das autoridades centrais criarem-se melhores condições para o desenvolvimento  da actividade económica no país e na região.

“O momento é difícil para os empresários, mas urge a necessidade de participarmos de forma activa para a solução e resolução dos problemas, não adianta criticar sem propor soluções, o país  vive uma nova era, onde todos somos chamados a participar, disse o presidente da Associação Agro-pecuária Comercial e Industrial (AAPCIL), Paulo Gaspar.

Participam do evento 250 empresas, entre públicas e privadas, ligadas as áreas das telecomunicações, Banca, restauração, indústria transformadora, academia, entre outras.

Bié realça experiência pecuária e agrícola da Huíla

Na feira, o governador do Bié,  Álvaro Boavida Neto, um dos convidados, destacou a experiência da Huíla no domínio pecuário e agrícola fundamental para o fomento e desenvolvimento destes sectores da economia na província que lidera.

Em declarações à Angop, quando visitava a Feira Agro-pecuária da Huíla, que abriu quarta-feira, sublinhou que o objectivo da visita é o de perceber como as outras províncias estão a desenvolver o sector produtivo e levar a experiência à sua província.

Para o governante,  a Huíla tem uma “grande” experiência neste sector, por isso pretende motivar alguns investidores no sentido de alargarem a sua área de intervenção, não ficando apenas no sul, mas chegando também ao Bié.

Reforçou a ideia de se implantar um matadouro regional, pois constituirá uma mais-valia para todos criadores de gado.

O governador sublinhou a necessidade de uma aposta na nova geração, para que estes saiam da academia com o saber científico e possam alinhar os aspectos teóricos à prática e transformar o país.

Namibe quer cooperar com cooperativa de criadores

A abertura da feira da Huíla foi testemunhada também pelo governador do Namibe, Carlos da Rocha, que manifestou o interesse em cooperar com a Cooperativa de Criadores de Gado do Sul de Angola (CCGSA), para ganhar experiência no domínio de reprodução do gado e garantir qualidade de carne.

Ao falar a jornalistas à margem da abertura da 15ª edição da Feira Agro-pecuária da Huíla, Carlos da Rocha afirmou que em relação ao gado bovino, Namibe ocupa o terceiro lugar no país,  depois da Huíla e Cunene, mas lidera o ranking de caprinos.

“A maior parte do gado que o Namibe tem está nas mãos de criadores tradicionais. O nosso objectivo é continuar a reproduzir mais para deixar de importar gado bovino, uma vez que a Huíla, acumula grande experiência na criação e reprodução de animais”, frisou.

Segundo o governante, é necessário que os criadores de gado apostem seriamente no cruzamento de raças, na vacinação, banhos, de modo a transformar a região sul do País na maior potência no fornecimento de carne em Angola.

A feira agropecuária da Huíla aberta quarta-feira, encerra domingo, e expõe 500 cabeças de gado. Deste número 300 serão leiloadas.

Leia também
  • 03/02/2019 10:32:56

    Mais de mil milhões de kwanzas serão empregues em projectos na Matala

    Matala - Mil milhões, 18 milhões, 527 mil e 126 Kwanzas foram disponibilizados, no âmbito do Orçamento Geral do Estado (OGE) referente ao exercício económico de 2019, para financiar 37 projectos no município da Matala.

  • 02/02/2019 12:56:57

    Huíla: Caluquembe necessita de mais 50 técnicos agrícolas

    Caluquembe - O município de Caluquembe, a cerca de 193 quilómetros a norte do Lubango, província da Huíla, precisa de pelo menos 50 técnicos agrícolas para dar resposta às 225 associações e 50 cooperativas de camponeses nas comunas da Sede, Calepi e N'gola, que compreendem a circunscrição.

  • 02/02/2019 10:08:20

    Huíla: Caluquembe colhe 15 toneladas de café arábico em 2018

    Caluquembe - Quinze toneladas de café arábico foram colhidas no ano agrícola de 2018 no município de Caluquembe, província da Huíla, registando um aumento de mais sete toneladas em relação a 2017, anunciou hoje (sábado) o director local da Agricultura, Pecuária e Pescas, Eliseu José.

  • 28/01/2019 17:58:18

    Doenças matam mais de 100 cabeças de gado bovino na Matala

    Matala - Pelo menos 102 cabeças de gado bovino morreram em 2018 no município da Matala, província da Huíla, mais 62 em relação ao período anterior, vítimas de doenças como peripneumonia contagiosa, carbúnculos hemático e sintomáticos, anaplasmose e dermatite nodular.