Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

09 Agosto de 2018 | 16h31 - Actualizado em 09 Agosto de 2018 | 18h52

Pauta Aduaneira desagrava taxas em artigos pessoais de passageiros

Luanda - As taxas de artigos de uso pessoal dos viajantes que chegam ao País passam, a partir de hoje (quinta-feira), a ser desagravadas, com a entrada em vigor da nova Pauta Aduaneira, anunciou hoje o delegado da Administração Geral Tributária (AGT) no Terminal de Passageiros do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Passageiros no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro em Luanda

Foto: JOSE FALSO

Segundo Dinis Mário da Silva, que falava em conferência de imprensa, a propósito da Nova Pauta, “existe vantagens em termos de isenções, como os perfumes, desagravados de 94 para 43 %, cabelo humano de 83 para 23% e roupas, que passou para 23 %, ao contrário dos anteriores 43 por cento.

Outra vantagem para os viajantes, apontada pelo responsável da AGT, relaciona-se com “os bens enviados como encomendas postais, que são tratados, nesta nova pauta, como  bens de uso pessoal, ao contrário da antiga pauta”, referiu.

Dinis da Silva disse ainda que, em termos de isenções, as novidades estão também nos equipamentos que vão para reparação, como telemóveis, tabllet, televisores e outros aparelhos, cujos proprietários levam para o estrangeiro para reparação. Estes bens, referiu, agora não são cobrados, ao contrário da antiga pauta que obrigava os passageiros a pagar uma taxa.

Na ocasião, o delegado esclareceu igualmente que, na actual pauta aduaneira, é permitido que o viajante ao desembarcar transporte, sem declarar, alguns bens, como três telemóveis, dois litros de vinho, três frascos de perfumes, 400 cigarros, 500 gramas de charutos e um tabllet.

Para o efeito, adiantou, “o passageiro quando chega a sala de desembarque, após tirar a sua bagagem, ao sair, deve ter consciência de como fazer. Se sair pelo Canal Verde, quer dizer nada a declarar, já no Canal Vermelho, algo a declarar, no caso de ser mercadoria ou algo de valor comercial”, esclareceu.

Entretanto, acrescentou que existem passageiros que usam o Canal Verde quando o seu bem é de uso comercial, tendo desaconselhado tal comportamento e solicitado que se faça a declaração voluntária dos produtos considerados de valor comercial, com vista a evitarem que lhes sejam aplicados multas.  


 

Assuntos Angola   Economia   Passageiros  

Leia também
  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 02/02/2019 07:25:27

    Metas do Prodesi passam por financiamento bancário

    Luanda - Os bancos comerciais terão papel fundamental, através da disponibilização do crédito, nos projectos do Programa de Apoio à produção, diversificação das exportações e substituição das importações "PRODESI", argumentaram economistas ouvidos pela Angop.

  • 02/02/2019 06:20:13

    Economistas consideram oportuna revisão do OGE/2019

    Luanda - O economista Lopes Paulo considerou nesta quinta-feira, em Luanda, um imperativo a revisão em baixa do Orçamento Geral do Estado (OGE/2019), com preço referência do barril de petróleo a situar-se entre 50 a 55 dólares.

  • 01/02/2019 20:07:05

    Construção da barragem de Baynes estimada em USD 1,2 mil milhões

    Cacuso - A construção da barragem hidroeléctrica Binacional de Baynes, com início previsto para 2021, no rio Cunene, fronteira entre Angola e a Namíbia, está estimada em 1,2 mil milhões de dólares, avançou hoje (sexta-feira), em Malanje, o ministro angolano da Energia e Águas, João Baptista Borges.