Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

14 Setembro de 2018 | 10h51 - Actualizado em 14 Setembro de 2018 | 10h51

Sector eléctrico vai atingir sete mil Megawatts até 2022

Saurimo - O sector eléctrico do País pretende atingir sete mil megawatts até 2022, para satisfazer as necessidades do País em termos de fornecimento regular de energia, disse quinta-feira, em Saurimo, o presidente do conselho de administração da Prodel, José Neto.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Lunda Sul: Presidente do conselho de Administração da PRODEL, José António Neto

Foto: ANGOP

Em declarações à imprensa, à margem do VIII Conselho Consultivo Alargado do Ministério da Energia e Água, realizado em Saurimo de 11 a 12, o responsavel disse que a meta será alcançada com conclusão de vários projectos hidroélectricos em curso e a implementação de novos.

Por outro lado, informou que fruto dos investimentos já realizados,  o País registou um crescimento na produção de energia de três mil e 500 megawatts em 2016, para  quarto mil e 600 MW agora.

Apesar deste aumento da produção, reconeheceu não ser suficiente para satisfazer as necessidades de todo o País, sobretudo a nivel da região leste.

Para minimizar a situação nesta região, integrada pelas provincias da Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico, disse estar em curso a construção centrais térmicas, cujas capacidades variam entre os 20 a 30 megawatts.

Realçou que a Prodel, em colaboração com o Ministério da Energia e Água, está a trabalhar no sentido de atrair investimentos para explorar algumas fontes hídricas que existem na região e fazer a interligação do sistema norte e leste através de Capanda.

Para cidade de Saurimo, em particular, disse que até o próximo ano serão acrescentados mais 40 megawatts, fruto da conclusão de duas centrais termicas em construção nos bairros Txicumina e Nhama.

Disse estarem a trabalhar na recuperação da antiga central térmica do Txicumina , com a capacidade de 14 megawatts, cujos alguns grupos geradores encontram-se paralisados a cerca de dois anos.

Na mesma situação, encontram-se as centrais térmicas de Menongue (Cuando Cubango) Lubango (Huila) Luena (Moxico) Dundo (Lunda Norte) Benguela, Luanda e Odjiva (Cunene).

Leia também
  • 05/02/2019 19:14:15

    Angola quer ajuda francesa para edificar economia forte

    Luanda - O Executivo angolano está a contar com ajuda do Governo francês para a edificação no País de uma economia forte, menos dependente do petróleo, competitiva e capaz de gerar prosperidade.

  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 02/02/2019 07:25:27

    Metas do Prodesi passam por financiamento bancário

    Luanda - Os bancos comerciais terão papel fundamental, através da disponibilização do crédito, nos projectos do Programa de Apoio à produção, diversificação das exportações e substituição das importações "PRODESI", argumentaram economistas ouvidos pela Angop.

  • 02/02/2019 06:20:13

    Economistas consideram oportuna revisão do OGE/2019

    Luanda - O economista Lopes Paulo considerou nesta quinta-feira, em Luanda, um imperativo a revisão em baixa do Orçamento Geral do Estado (OGE/2019), com preço referência do barril de petróleo a situar-se entre 50 a 55 dólares.