Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

12 Outubro de 2018 | 11h54 - Actualizado em 12 Outubro de 2018 | 11h54

Muandumba quer plataforma logística no Luau

Luena - O governador da província do Moxico, Gonçalves Muandumba sugeriu ao Executivo angolano, a construção de uma Plataforma Logística no município fronteiriço do Luau, para servir a região leste do país e a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (Sadc).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Moxico : Participantes ao Fórum Empresarial sobre as Potencialidades e Oportunidades de Negócios

Foto: Kinda kyungu

Moxico: Governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba

Foto: David Dias

A sugestão foi lançada nessa quinta-feira quando dissertava sobre“ Moxico, potencialidades e oportunidades de negócios”, no fórum empresarial, inserido na Expo - Moxico, prevendo igualmente, o aproveitamento e a transformação do aeroporto daquela circunscrição num factor de desenvolvimento da região.

Gonçalves Muandumba manifestou também o desejo de desenvolver o sector económico da região, usando como eixo estruturante, a oferta de profissionais a serem formados na Escola Superior Politécnica local e no futuro Instituto Médio Agrário (IMA) do Luau.

Insistiu que o governo provincial pretende promover o desenvolvimento da região centralizando a atenção no sector da educação para formar a mão-de-obra qualificada e diversificada, capaz de contribuir na construção de infra-estruturas necessárias e na execução cabal dos projectos socioeconómicos em curso.

Para tal, apontou que estão a ser construídas 116 novas salas de aulas na província, para acolher nos próximos tempos, as pessoas que se encontram fora do sistema de ensino, esclarecendo que apesar destas obras, as necessidades em termos de salas de aulas, ainda estão aquém do desejável.

Gonçalves Muandumba indicou que Moxico enfrenta igualmente, um défice de energia eléctrica e habitação condigna, situação que na sua óptica pode ser superada com a intervenção de investidores no sector económico da província.

Argumentou que a valorização e modernização da agricultura e o seu desenvolvimento passam, necessariamente, pela sua promoção, direccionada para os jovens que não a vê e nem a têm como uma boa saída profissional.

Nesta base, aferiu, o governo tenciona absorver os técnicos a serem formados no IMA do Luau, para catapultarem o desenvolvimento da fazenda Agro-industrial de Camaiangala e de Sacassange, localizados no município sede (Moxico) e de Camanongue, respectivamente, com vista a contribuírem na melhoria das condições de vida da população.

Explicou que o IMA, cujas obras encontram – se na fase final, está concebido para formação de técnicos médios e básicos das áreas de produção vegetal, pecuária, gestão agrícola e recursos florestais.

Fez saber que esta acção que constitui o primeiro desafio do governo local, aprovada pelo executivo angolano, enquadra – se no plano de desenvolvimento nacional (PDN), visa produzir mais e melhor e tem como objectivo a auto -suficiência alimentar e por conseguinte, a diminuição da fome e do combate à pobreza.

O segundo desafio, que imbrica com o primeiro, acrescentou, é o de que este último só será alcançado quando a educação e ensino de qualidade forem uma realidade na província.

O terceiro desafio de acordo com o governante é ter na província investidores nacionais e estrangeiros que tenham o desenvolvimento desta região como prioridade, a par da rentabilidade e expansão dos seus negócios, cuja consequência será a criação de postos de trabalho e emprego de que a juventude justamente reclama.

No acto de abertura do fórum, o secretário de Estado da Economia, Sérgio Santos, defendeu a necessidade de existência da colaboração entre o governo e os empresários para permitir relançar e dar um novo rumo à economia nacional.

Para Sérgio Santos, o governo de forma isolada dificilmente conseguirá inverter a situação de crise em que está mergulhada actualmente a economia do país.

No entanto, recomendou que seja aprofundada a colaboração entre o governo, as autoridades locais e as iniciativas do sector privado, pois, como disse, só quando se elevar a qualidade e a profundidade da colaboração entre estes sectores será capaz de melhorar as condições de vida da população. 

A Expo - Moxico conta com a participação de mais de 80 expositores, empresários e investidores locais, das províncias do corredor do Lobito (Benguela, Huambo) e da capital do país (Luanda), bem como das Repúblicas da Zâmbia, África do Sul e Brasil.

O evento que decorre na Avenida 1º de Maio da cidade do Luena, numa área de dois mil metros quadrados, termina neste sábado, 13 de Outubro.

Angop/dv

Leia também
  • 12/10/2018 11:38:27

    Turístico entre as prioridades do orçamento de 2019

    Dundo - O sector turístico, depois da saúde e educação, é uma das prioridades do projecto de orçamento da Lunda Norte para 2019, calculado em cerca de 43 mil milhões de kwanzas - isto é, mais 3,4 porcento que o actual.

  • 11/10/2018 16:00:31

    Reunião bianual do Cisna acontece sexta-feira

    Luanda - Representantes de 15 países da SADC participam, sexta-feira, em Luanda, na 41ª Reunião Bianual de Seguros, Valores Mobiliários e Autoridades Reguladoras Não-Bancárias da Sadc - Cisna, cujos trabalhos a nível dos peritos já decorrem desde o dia 10 do mês em curso.

  • 11/10/2018 13:22:35

    Pagamento da taxa nunca chegou aos 50%

    Luanda - A Administração Geral Tributária (AGT) sempre teve dificuldades em atingir os valores previstos com a taxa de circulação e nunca obteve 50 porcento das receitas planeadas com esse tributo, revelou hoje o técnico Edison Martins.