Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

07 Outubro de 2019 | 19h31 - Actualizado em 08 Outubro de 2019 | 10h50

Governo investe 500 milhões de euros no subsector das águas

Lubango - O Governo angolano vai investir 500 milhões de euros na construção de novos sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável nas sedes das províncias de Luanda, Benguela, Malanje, Moxico, Cuanza Norte, Uíge e Huíla, a partir do segundo semestre de 2020, altura em que arrancam as obras.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huíla: Secretário de Estado da Energia e Águas, Lucrécio da Costa

Foto: José Filipe

A construção das infra-estruturas conta com o financiamento da Espanha, Japão, Alemanha e Índia e visa dar resposta às necessidades de melhoria da qualidade e quantidade de água destinada a mais de sete milhões e 500 mil de consumidores, bem como atingir uma cobertura dos 65% para 80%.

A informação foi revelada hoje à ANGOP, no Lubango, pelo secretário de Estado das Águas, Lucrécio da Costa, no final de uma visita de trabalho de dois dias à província da Huíla, onde avaliou o quadro do Programa Integrado de Desenvolvimento Rural Local de Combate à Pobreza.

Fez saber que o Governo já dispõe de 50% do financiamento, aguardando que até Dezembro o valor total do financiamento esteja disponível.

Referiu que, neste momento, decorrem obras de construção de novos sistemas de abastecimento de água nas cidades capitais de Cabinda, Zaire, Huambo, Bié e Lunda Norte.

Reconheceu que a situação económica e financeira do país não é confortável, mas acredita que a cooperação existente com outros países poderá ajudar a preencher as lacunas no domínio de infra-estruturas sociais.

Reafirmou que, a nível da Huíla, há ainda projectos a serem desenvolvidos nos municípios da Chibia, Gambos Cuvango e Humpata, através de ligações domiciliares.

No Lubango, prevê-se a identificação de água subterrânea do aquífero na Nossa Senhora do Monte, arredores desta cidade, ainda em estudo, por formas a reforçar o fornecimento de água junto aos munícipes.

Até 2016, foram construídos 350 quilómetros da rede de distribuição de água potável, no âmbito da segunda fase do Programa de Desenvolvimento Institucional do Sector das Águas (Pdisa).

Avaliado em mais de sete milhões de dólares norte-americanos, na primeira fase, foram concluídos 60 quilómetros e quatro mil e 600 ligações aos domicílios nos bairros da Lage, Mitcha, Hélder Neto, Comercial e Lucrécia, esperando inserir-se mais 500 ligações com um outro financiamento e estimado em mais de USD 90 milhões.

Leia também
  • 07/10/2019 19:18:43

    Empresa espanhola promove aviturismo em Angola

    Lubango - Um projecto da empresa espanhola Promised Land Ventures SL (PLV) começa a ser implementado este ano no país para promover o aviturismo, dando oferta de trekking, também conhecido de ciclismo de montanha e escalada para observação dos mais diversos tipos de aves da fauna angolana.

  • 07/10/2019 10:21:13

    Angola e Senegal podem produzir 10 mil MW até 2025

    Luanda - Angola e Senegal estão prestes a atingir os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável africano no sector eléctrico, com a produção de 10 mil MW até 2025, uma iniciativa para o sector, através da produção de energia limpa e "amiga" do ambiente.

  • 06/10/2019 11:18:24

    Huíla: Platina Line e MINTUR lançam prémio Startups do Turismo

    Lubango - Um concurso denominado "Startups do Turismo", com objectivo de aliar a tecnologia e o turismo a partir de ideias concretas e inovadoras para o desenvolvimento turístico de Angola, foi lançado sábado, no Lubango.