Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

13 Fevereiro de 2020 | 12h46 - Actualizado em 13 Fevereiro de 2020 | 13h35

Clientes devem 38 milhões de Kwanzas à EPAS

Lubango - Clientes do sector público e privado devem, desde 2015, pelo menos 38 milhões de kwanzas à Empresa Provincial de Águas e Saneamento (EPAS) da Huíla.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Domingas Tyikussi, PCA da Empresa Provincial de Águas e Saneamento da Huíla

Foto: Amélia Oliveira

De acordo com a presidente do Conselho de Administração da EPAS, Maria Domingas Tyikusse, que falava do estado actual do sector, das instituições públicas destacam-se o Interior, com 10 milhões e 488 mil Kwanzas e a Defesa com quatro milhões e 283 mil Kz.

Declarou que a empresa tem custos de operação, manutenção, pagamento de salários, entre outras despesas, dinheiro que faz falta à empresa, informando que já há negociação com alguns devedores, para amortização da dívida de forma parcelar.

Em relação ao fornecimento de água, disse que o quadro melhorou, uma vez que, nos meses de Setembro a Dezembro de 2019, estavam com uma produção de perto de 500 metros cúbicos de água/hora e agora estão com 900 metros cúbicos, fruto das chuvas regulares que caiem nos últimos meses.

Explicou que o sistema de abastecimento aos bairros era bissemanal, durante seis horas e agora os bairros Santo António, Ferrovia e o centro da cidade recebem água 24 horas por dia e os restantes continuam a receber duas vezes por semana, tendo aumentamos o período de distribuição das 06h00 às 18 horas.

Esclareceu que a realização de novas ligações exige mais investimento, mas, por enquanto, a empresa não está em condições de o fazer por exiguidade de recursos financeiros.

Para a expansão da rede, a EPAS necessita de aumentar a reserva, pois o pico de produção é de cerca de mil e 200 metros cúbicos por hora.

Maria Domingas Tyikusse informou que as áreas críticas são os bairros Mapunda e João de Almeida, que já tiveram água mas não foram requalificados, bem como o barirro da Mitcha, Tchioco, Lalula, entre outros, que nunca estiveram na rede.

A Empresa Provincial de Águas e Saneamento da Huíla controla 25 mil ligações, das quais 18 mil já possuem contadores. Este ano, a empresa pretende chegar aos 30 mil clientes.

Leia também
  • 12/02/2020 19:15:20

    Alteração das leis do Mintur dinamizam sector

    Lubango - A alteração das leis que regulam o sector turístico do país, documentos que estão a ser objecto de consulta pública, vai dar maior dinamismo à actividade no seu todo, considerou nesta quarta-feira, na cidade, do Lubango, o director do gabinete provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos, na Huíla Osvaldo Lunda.

  • 11/02/2020 17:37:48

    Apenas 30% paga água em Mbanza Kongo

    Mbanza Kongo - Apenas 30 por cento dos seis mil clientes, ou seja mil e 800, da rede distribuição de água que entrou em funcionamento em Outubro último, em Mbanza Kongo, paga o seu consumo à empresa provincial do Zaire (EPASZ).

  • 05/02/2020 18:51:59

    Empresários querem investir no Parque do Bicuar

    Lubango - Um grupo de empresários sul-africanos e americanos, ligados ao sector do turismo, pretende investir na província Huíla, no Parque Nacional do Bicuar.