Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

23 Abril de 2020 | 17h49 - Actualizado em 23 Abril de 2020 | 18h25

Moratória dos bancos beneficia apenas clientes com dificuldades

Luanda - Os bancos devem conceder uma moratória de 60 dias apenas aos clientes que têm créditos em situação regular até Março de 2020 e que apresentem dificuldades em cumprir o pagamento das respectivas prestações, tendo em conta o Estado de Emergência que o país vive, segundo o Banco Nacional de Angola (BNA).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Edifício sede do Banco Nacional de Angola "BNA"

Foto: Francisco Miúdo

A medida consta do Instrutivo do Banco Nacional de Angola (BNA) n.º 04/2020, de 30 de Março, enquadrada no Decreto Presidencial n.º 82/20, de 26 de Março, que determina o Estado de Emergência no país, fruto do impacto negativo do novo coronavírus (Covid-19).

Para o efeito, os interessados que tenham operações de crédito em situação regular, que se encontrem em período de reembolso ou tenham iniciado esse período em Março de 2020, devem dirigir um pedido em formato físico ou digital, às instituições financeiras, com regularização à posteriori da respectiva adenda contratual, clarifica o BNA.

A solicitação dos clientes deve ser dirigida às instituições financeiras com as quais tenham celebrado o contrato de crédito, devidamente assinado e justificando com demonstração de que sofreram um impacto económico com a medida da declaração de Estado de Emergência.

De acordo com o BNA, a moratória deve ser concedida por todas as instituições financeiras que tenham concedido operações de crédito, nomeadamente, bancos comerciais, cooperativas de crédito e sociedades de micro-crédito.

O documento estabelece, igualmente, a suspensão temporária de todas as interpelações, constituições em mora e execuções decorrentes do atraso no cumprimento das referidas obrigações.

Segundo o instrutivo, publicado no site do Banco Central, nesse periodo, as instituições financeiras estão proibidas de cobrar encargos, juros ou comissões adicionais ao custo das obrigações inicialmente assumidas e de efectuar qualquer agravamento às prestações futuras, aumentado somente o número de prestações dos clientes.

Qualquer instituição financeira que se recuse a conceder a respectiva moratória, no caso do cliente preencher os requisitos, o interessado deve apresentar a respectiva reclamação ao BNA, através do Portal do Consumidor Bancário.

O Instrutivo do BNA n.º 04/2020, de 30 de Março, visa estabelecer regras sobre as facilidades temporárias, designadamente, uma moratória, que as instituições financeiras devem conceder aos seus clientes, no âmbito do cumprimento de obrigações creditícias contraídas junto destas instituições.

Para a prevenção e combate à Covid-19, Angola observa, desde as 00h00 do dia 11 de Abril, um novo período de Estado de Emergência, que deve vigorar até às 23h59 do dia 25 de Abril.

Trata-se da prorrogação dos primeiros 15 dias do regime excepcional, decretado pelo Presidente da República, a 27 de Março último.

Nessa quinta-feira, a Assembleia Nacional (AN) aprovou a solicitação do Presidente da República para a segunda prorrogação do Estado de Emergência, com vista a evitar o risco de contágio da Covid-19 na comunidade.

Assuntos Economia   Finanças  

Leia também
  • 22/04/2020 15:32:31

    Comercialização de gás butano no Leste obedece novo plano

    Luena - A comercialização do gás butano aos revendedores grossistas e retalhistas das províncias da região Leste do país (Moxico, Lunda Sul e Lunda Norte), a partir do Centro Regional de Enchimento e Distribuição do produto da Sonangol, vai nos próximos dias, obedecer um novo plano.

  • 22/04/2020 07:52:43

    AN discute alteração de códigos tributários

    Luanda - A Assembleia Nacional inicia nesta quarta-feira, na generalidade, a discussão e aprovação das propostas de revisão de três diplomas estruturantes do sistema tributário.

  • 21/04/2020 17:49:08

    Covid-19: Receitas fiscais caem 29 por cento no Cuanza Norte

    Ndalatando - Oitocentos milhões, 47 mil e 148 de kwanzas constitui o volume de receitas tributadas para a Administração Geral Tributária (AGT) no Cuanza Norte, de Janeiro a Março do ano em curso, período em que se constatou uma queda das arrecadações na ordem dos 29,66 por cento, comparativamente ao período homólogo de 2019.