Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

29 Maio de 2020 | 08h17 - Actualizado em 29 Maio de 2020 | 08h24

Recredit recupera 1,5 mil milhões de kwanzas de malparado do BPC

Luanda - A Recredit - gestão de activos conseguiu recuperar uma dívida de 1,5 mil milhões de crédito concedido pelo Banco de Poupança e Crédito (BPC) amortizada por um grupo empresarial, sendo o primeiro caso registado.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

balcão do BPC (arquivo)

Foto: David Dias

A recuperação do referido crédito malparado surge após um período de negociação  com  empresas que se encontravam na condição de devedores do BPC.

Neste período, de acordo com uma nota a que a ANGOP teve acesso,  foram reconstituídos processos de créditos associados a 20 de Junho de 2019, os acordos de reconhecimento de dívida (ARD) com os grupos Chicoil, ABC e STI.

Conforme o documento, do processo de negociação, que decorreu em estreita articulação com algumas instituições dependentes do Ministério das Finanças, como a AGT e o Grupo Técnico de Apoio ao Credor do Estado, resultou no pagamento de amortização da dívida no valor de 1,5 mil milhões de kwanzas, por parte de um dos grupos empresariais acima referidos.

Para a Recredit, este é um passo determinante e que marca um novo ciclo, pautado pela determinação de cumprir com o objectivo de maximizar a recuperação do crédito malparado.

Com base na negociação directa com os clientes sobre os termos das amortizações das dívidas, a Recredit diz estar disponível para dialogar com os devedores, desde que mostrem interesse em assumirem as suas responsabilidades.

Focada em desenvolver soluções de recuperação extrajudiciais, a Recredit não descarta a possibilidade de,  em situações de necessidade, poder recorrer a outras medidas legalmente previstas.

O BPC, que sofreu um roubo de 400 milhões de kwanzas, a 07 de Abril, actualmente encontra se  em falência técnica e  enfrenta uma necessidade de recapitalização na ordem dos 1,08 mil milhões de kwanzas, aguardando de uma nova injeção do Executivo.

Desta feita, a Recredit vai receber cerca de 950 mil milhões de kwanzas de crédito malparado do BPC, para ser recuperado, de modo que o Estado possa reaver os valores da recapitalização.

Entre 2015 a 2018, o Executivo já procedeu uma recapitalização no BPC na ordem de 500 mil milhões de kwanzas de títulos.

Parte deste valor, mais de 200 mil milhões de kwanzas está em stock da carteira do BPC, com maturidade de cerca de 24 anos a uma taxa de 5%.

A própria Recredit já foi recapitalização há algum tempo, com títulos de tesouro no valor de 440 mil milhões de kwanzas,  segundo o secretário de Estado das Finanças, Osvaldo João, num encontro mantido com jornalistas.

Criada em 2016, a Recredit-Gestao de Activos tem como principal função a gestão de créditos concebidos, bem como a gestão de participações financeiras e patrimónios.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 29/05/2020 09:01:40

    BCI requer 57 mil milhões de kwanzas para recapitalização

    Luanda - O Banco de Comércio e Indústria (BCI) vai precisar de 57 mil milhões de kwanzas para a sua recapitalização, depois de ter efectuado um conjunto de ajustamentos decorrente da avaliação da qualidade de activos e implementação da Norma Internacional de Relatório Financeiro 9 (IFR9).

  • 29/05/2020 06:31:57

    Governo prorroga concurso do terminal do Porto de Luanda

    Luanda - A Comissão de Avaliação de Concessões anunciou, em Luanda, a prorrogação da submissão de propostas para a concessão do Terminal Multiuso do Porto de Luanda.

  • 28/05/2020 21:01:03

    Governo promove consulta sobre projecto de electrificação

    Luanda - O Governo angolano promove, a partir desta sexta-feira, processo de consulta pública, por um período de 08 dias, para o aferimento sobre eventual impacto sócio ambiental e suas fases de implementação do projecto de Fortalecimento do Sector Eléctrico (PFSE).