Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

14 Agosto de 2020 | 00h27 - Actualizado em 14 Agosto de 2020 | 00h26

Peixes morrem na Baía por falta de oxigénio

Luanda - A redução dos níveis de oxigénio na água terá sido a principal causa da morte de peixes na Baía de Luanda, ocorrida nos últimos dias, concluiu o estudo do Instituto Nacional de Investigação Pesqueira e Marinha (INIPM), divulgado nesta quinta-feira.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Peixe Sardinha, vulgarmente conhecido como lambula, vendido em Luanda (Ilustração)

Foto: Rosario dos Santos

imagem do mar na Baía de Luanda

Foto: Pedro Parente

Desde o dia 05 de Agosto, várias qualidades (não quantificadas) de peixes apareceram mortas na Baía de Luanda, por "asfixia" e por causa da presença, na água, de microalgas referenciadas como produtoras de biotoxinas com impacto na saúde humana.

Conforme o INIPM, a água atingiu concentrações inferiores a 1.164 ml/L, quando o valor mínimo de oxigénio dissolvido para a preservação da vida aquática é de 5,0 ml/L.

Segundo a investigação deste órgão, afecto ao Ministério da Agricultura e Pescas, a mortandade afectou maioritariamente as espécies mariquita, galucho, peixe prata, tainha, palheta e salmonete, todas típicas da Baía de Luanda.

O relatório refere que, nesta altura do ano (tempo de cacimbo/frio), é frequente em Angola registar-se ventos fracos e, como consequência, dificuldades na mistura das massas, levando à estagnação e redução dos níveis do oxigénio dissolvido.

Assim, o INIPM reiterou o apelo para a não comercialização e consumo de pescado capturado na Baía de Luanda, sublinhando que continuará a monitorar o ambiente da área para, no futuro, em colaboração com outras entidades, estabelecer um sistema de alerta.

Entretanto, o administrador do bairro da Ilha do Cabo, Paulo Neto, informou que a situação está controlada e, fruto do trabalho com a fiscalização e as comissões de moradores, foi possível evitar a recolha e venda do peixe, por parte dos pescadores e das peixeiras.

   

Assuntos Angola   Pesca  

Leia também
  • 13/08/2020 20:39:11

    BNA quer concessão de crédito responsável na economia

    Luanda - O governador do Banco Nacional de Angola, José de Lima Massano, reiterou, nesta quinta-feira, ser necessário que os bancos comerciais desenvolvem capacidades para apoiar os esforços da diversificação da economia, em curso, com a concessão de crédito responsável.

  • 11/08/2020 17:27:55

    Leilão online de mercadorias rende Kz 71 milhões

    Luanda- A Administração Geral Tributária (AGT) arrecadou 71 milhões de kwanzas, com o leilão online de 139 lotes de mercadorias diversas, realizado a 12 de Julho último.

  • 11/08/2020 16:53:50

    Multicaixas estão prontos para toda dimensão de notas - Emis

    Luanda - A empresa interbancária de serviços (Emis) esclareceu, nesta terça-feira, que os caixas automáticos da rede multicaixas, a cargo dos bancos comerciais, estão preparados para se adaptarem a qualquer dimensão de notas, incluindo a nova família do kwanza, série 2020.