Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

11 Janeiro de 2018 | 14h34 - Actualizado em 11 Janeiro de 2018 | 14h34

Mais de 100 mil crianças aprendem língua Nganguela

Menongue - Cento e cinquenta mil alunos do ensino da 1ª a 6ª classe foram contemplados no processo de generalização do ensino da língua Nganguela desde o ano lectivo 2012, informou quarta-feira, o director da Educação, Miguel Canhime.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Miguel Canhime, Director da Educação

Foto: Armando Morais

Avançou que o Cuando Cubango obteve, até o ano 2017, resultados positivos, sobretudo no interior dos municípios, pelo contacto permanente com a língua, ao contrário com as sedes municipais, sobretudo Menongue.

Assegurou que esta dificuldade foi mais notória, em Menongue, capital do Cuando Cubango, nos primeiros anos do processo.

“Em 2017 generalizamos o ensino da língua Nganguela porque atingimos as sextas classes a nível da província e estamos à espera de um outro projecto do governo angolano, através do Ministério da Educação, se se pode avançar para o I ciclo e com quê conteúdo”, precisou.

O director afirmou que na questão da valorização, ensino e generalização do Nganguela o Cuando Cubango alcançou sucesso, sobretudo na sua implementação desde a 1ª,2ª,3ª,4ª,5ª e 6ª classe.

Ainda assim, o responsável apontou como dificuldades o facto de os professores que estão no ensino primário que não dominarem a língua, daí que alguns o façam em outras, para facilitar o processo.

Lembrou que o Cuando Cubango está simplesmente indicada para leccionar Nganguela, assim como as outras regiões onde se ensina o Umbundu, Kimbundu, entre outras línguas.

“Todos os professores do ensino primário dominam a língua Nganguela. Para aqueles casos de haver alguém com dificuldades na sua turma, chama-se um docente de outra turma e aglutina-se para leccionar as duas turmas", explicou.

Assegurou que os professores têm, a cada ano lectivo, beneficiado de acções de refrescamento sobre os métodos de ensino do Nganguela, facto que tem tornado possível a obtenção de sucessos no processo em causa.

O gestor precisou que em cada ano lectivo, os professores da língua Nganguela, francesa, inglesa, são refrescados por parte, assim como para outras disciplinas, onde as Zonas de Influências Pedagógica assumem este papel de actualização dos docentes por áreas.

Leia também
  • 11/01/2018 11:58:20

    IMAG reduz vagas para ano lectivo 2018

    Mbanza Kongo - Cento e 94 vagas foram colocadas à disposição dos candidatos ao Instituto Médio de Administração e Gestão (IMAG) de Mbanza Kongo, província do Zaire, neste ano lectivo, verificando-se uma redução de 105 vagas em relação ao ano lectivo 2017.

  • 11/01/2018 07:05:03

    Educação no Ambuila necessita de 150 professores

    Uíge - Cento e cinquenta professores de diversos níveis de ensino são necessários para a cobertura da rede educativa no município de Ambuila, 100 quilómetros da cidade do Uíge, informou quarta-feira o director municipal da educação local, Costa Manuel.

  • 10/01/2018 15:37:36

    Instituto Agrário do Cuanza Norte com mais de mil vagas

    Ndalatando - O Instituto Médio Agrário (IMA) da província do Cuanza Norte tem disponível, para o presente ano lectivo, mais de mil vagas para novos alunos interessados em frequentar os cursos de Recurso Florestal, Produção Vegetal e Animal.