Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

11 Outubro de 2018 | 19h08 - Actualizado em 11 Outubro de 2018 | 19h07

Antropólogo Ruy de Carvalho homenageado com museu

Lubango - O Instituto Superior Politécnico Tundavala (ISPT), localizado na província da Huíla, homenageou hoje, quinta-feira, a título póstumo, o cineasta e antropólogo, Ruy Duarte de Carvalho, com a abertura de um espaço museológico, que retrata o sudoeste angolano.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ruy Duarte de Carvalho - escritor, cineasta e antropólogo

Foto: António Escrivão

Em declarações à Angop, a propósito da homenagem, a antropóloga Inês Ponte disse que o trabalho para criação do espaço museológico começou a ser desenvolvido em 2011, um ano após a morte do também escritor.

Fez saber que o projecto foi incentivado por familiares de Ruy Duarte de Carvalho.

O museu comporta duas divisões com acervo sobre Ruy Duarte de Carvalho organizado por núcleos temáticos sobre sua vida e obra poética, trabalhos sobre antropóloga, actividade docente na Universidade Agostinho Neto (UAN) e realizador de cinema na Televisão Pública de Angola (TPA).

O espaço alberga também vários objectos dedicados aos povos do sudoeste de Angola e da República da Namíbia, como instrumentos musicais, adornos, brinquedos e esculturas feitas de cerâmica e de ossos de animais.

O museu tem ainda uma ala constituída por cestaria e moagem, objectos pessoais como despertador, cachimbo, cinzeiro, material de trabalho, além de medalhas, diplomas e  outros prémios que recebeu ao longo da sua carreira.

O museu tem mais de 300 peças.

Ruy Duarte de Carvalho, nasceu em Santarém, Portugal em 1941, mas passou a sua infância e adolescência no sul de Angola, onde acompanhava o pai, um aventureiro português caçador de elefantes, nas suas incursões pelo deserto do Namibe.

Regente agrícola de formação, Ruy Duarte de Carvalho foi criador de ovelhas e mais tarde estudou Cinema em Londres (Inglaterra) e Antropologia em Paris  (França).

Em 1982, levou a cabo um pioneiro exercício de tradução/apropriação da grande tradição lírica oral nas várias línguas autóctones africanas.

Como autor, publicou entre outras obras "Vou lá visitar pastores", (1999), "Sobre os Kuvale", "Sociedade pastoril do sudoeste de Angola"e "Como se o mundo não tivesse Leste".

No sector do cinema, realizou as longas-metragens "Nelisita: narrativas nyaneka" e "Moia: o recado das ilhas"

Em 2010, Ruy Duarte de Carvalho faleceu em Swakopmund, na Namíbia, local onde residia.

Leia também
  • 08/10/2018 10:36:46

    Instituto superior realiza jornadas científicas e pedagógicas

    Luanda - O Instituto Superior Politécnico de Kangonjo (ISKA), no município de Cacuaco, cerca de 18 quilómetros ao norte da cidade de Luanda, realizou, no fim-de-semana, as III jornadas científicas e pedagógicas com objectivo de analisar os desafios do ensino universitário em Angola.

  • 07/10/2018 11:25:41

    Huíla: "Sábados Académicos" apura cinco escolas para fase provincial

    Lubango - A nova edição do concurso estudantil denominado "Sábados Académicos" apurou, sábado, no Lubango, cinco alunos de igual número de escolas públicas e privadas, do II ciclo do ensino secundário, para representar o município na fase provincial do concurso a acontecer a 20 do corrente.

  • 04/10/2018 18:26:20

    Jornadas científicas desenvolvem competências dos alunos

    Lubango - A 6ª edição das jornadas científico-pedagógicas do Liceu Nº 792, que começou hoje, quinta-feira, na cidade do Lubango, província da Huíla, visa o desenvolvimento de competências na prática de pesquisas académicas por parte dos alunos.

  • 27/09/2018 19:20:49

    Realidade do país exige mais investigação científica - diz especialista

    Lubango - O especialista em investigação educativa Domingos Ndala disse hoje, no Lubango, província da Huíla, que formação de profissionais nas diferentes áreas do saber, na actual realidade angolana, exigi maior investigação para alcançar-se a qualidade, num curto prazo de tempo.