Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Institucional

05 Dezembro de 2017 | 18h07 - Actualizado em 05 Dezembro de 2017 | 18h07

Deputada da oposição admite transferência do processo de Manuel Vicente para Angola

Luanda - A deputada da UNITA, Clarisse Kaputo, considerou o caso que envolve o ex-vice-presidente da República de Angola, Domingos Manuel Vicente, com a Justiça portuguesa como mais político do que judicial e admitiu a possibilidade da sua transferência de Portugal para Angola.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Apesar de manifestar falta de conhecimento profundo do processo, Clarisse Kaputo, em declarações à Televisão Pública de Angola (TPA) no domingo, 3, reconheceu que existem duas visões diferentes para uma mesma matéria, na medida em que Angola olha para o caso como sendo político e Portugal como meramente jurídico.

Lembrou que existe um acordo judiciário mútuo entre Angola e Portugal, o qual permite que todos os cidadãos dos dois Estados sejam julgados nos respectivos países pelos crimes de que forem acusados no outro, e por isso acredita que irá prevalecer o consenso.

“Há acordos firmados no campo jurídico e para o bem das relações entre os dois Estados, acredito que o desfecho será consensual”, rematou a deputada, quando comentava à TPA os factos que marcaram a semana finda.

A Justiça portuguesa pretende julgar Manuel Vicente, actualmente deputado à Assembleia Nacional, por crime de corrupção, branqueamento de capitais e falsificação de documentos, enquanto presidente da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol).

O ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, defendeu na semana finda a transferência do referido processo para a Justiça angolana, garantindo que Angola “sobreviverá a uma crise de relações com Portugal”.

Em declarações à imprensa, o governante alertou igualmente que Angola não está à procura de "briga", mas que não vai fugir dela, para defender a soberania e dignidade do país.

Disse que, ao pedir que o processo seja entregue à Justiça angolana, está-se apenas a fazer recurso de um instrumento judiciário de cooperação que existe entre os dois países em matéria judicial.

Assuntos Angola   Justiça  

Leia também
  • 19/10/2018 19:16:36

    BJLA assinala 11 de Novembro com gala de poesia e trova

    Luanda - A Brigada Jovem de Literatura de Angola (BJLA) promove, a 28 do próximo mês, uma Gala de Poesia e Trova em alusão às festividades do 11 de Novembro, dia da proclamação da Independência Nacional, a assinalar em todo o território e pelas comunidades na diáspora, sob o lema "Unidos na construção de uma Angola Melhor".

  • 27/09/2018 21:03:05

    Ministério convida empresas jornalísticas electrónicas a registarem-se

    Luanda - O Ministério da Comunicação Social lançou, esta quinta-feira, em Luanda, um apelo às empresas jornalísticas electrónicas no sentido de regularizarem o seu registo junto daquele departamento governamental.

  • 28/04/2018 16:57:09

    Destacada abertura na comunicação social pública angolana

    Luanda - A abertura que se regista nos órgãos de comunicação social públicos em Angola, nos últimos meses, está alinhada com as mudanças preconizadas pelo Executivo saído das eleições gerais de 23 de Agosto de 2017 e constitui a chave do sucesso.

  • 02/04/2018 13:09:18

    Gestão dos recursos humanos da administração local passa para MAPTSS

    Luanda - O Ministério da Administração do Território e Reforma do Estado transferiu recentemente, em Luanda, a tutela dos recursos humanos da administração local para o Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS).