Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

12 Outubro de 2017 | 08h08 - Actualizado em 12 Outubro de 2017 | 08h08

Coreia do Norte ameaça Estados Unidos com "chuva de fogo"

Pequim - O ministro dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, advertiu hoje que a vontade de Pyongyang é "fazer chover fogo" sobre os Estados Unidos em resposta à retórica bélica do Presidente norte-americano, Donald Trump.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira da Coreia do Norte (Foto de arquivo)

Foto: ANGOP

O ministro norte-coreano fez o comentário ao receber uma delegação da agência de notícias russa Tass, que visitou Pyongyang, informaram hoje os "media" oficiais.

"É a firme vontade de todo o pessoal militar e do povo da República Popular Democrática da Coreia (RPDC, nome oficial do país) fazer chover fogo sobre os Estados Unidos, que falou em destruir totalmente a RPDC", disse Ri Yong-ho, num comunicado citado pela agência estatal KCNA.

Ri também afirmou que o programa nuclear norte-coreano é o "precioso fruto da sangrenta luta do povo coreano pela defesa do destino e da soberania do país face à prolongada ameaça nuclear dos imperialistas norte-americanos, e uma valiosa espada justiceira".

Na sua primeira intervenção perante a Assembleia-Geral das Nações Unidas, em setembro, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que a única solução será "destruir totalmente" a Coreia do Norte caso o regime de Kim Jong-un continue a ameaçar os Estados Unidos e os seus aliados.

Ri Yong Ho, que também participou na 72.ª Assembleia-Geral da ONU, tinha já reagido, dias depois, ao afirmar que Trump declarara guerra à Coreia do Norte com as suas palavras.

Na sua intervenção, o chefe da diplomacia norte-coreana disse aos líderes mundiais que os insultos do Presidente norte-americano a Kim Jong-un - como foi o caso da expressão "homem foguete" ['rocket man', em inglês] - tornam um ataque contra os Estados Unidos uma situação inevitável.

A visita da comitiva de jornalistas russos à Coreia do Norte tem lugar pouco depois da de um grupo de deputados russos ao hermético país asiático.

Um deles explicou, depois da visita, que as autoridades da Coreia do Norte garantiram estar a preparar o próximo lançamento para testar um novo míssil balístico intercontinental (ICBM) com capacidade para alcançar a costa oeste dos Estados Unidos.

Especialistas especulam que Pyongyang podem efectuar o lançamento de modo a coincidir com o congresso do Partido Comunista da China, que arranca na próxima quarta-feira, dia 18, ou com a visita de Donald Trump à região, prevista para ter lugar entre 02 e 14 de novembro

Assuntos Política  

Leia também