Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

17 Maio de 2018 | 11h56 - Actualizado em 17 Maio de 2018 | 19h10

Coreia do Sul será "mediadora" para resolver dúvidas sobre a cimeira Trump-Kim

Seul - A Coreia do Sul informou nesta quinta-feira que fará a mediação entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte depois que Pyongyang ameaçou desistir de uma reunião de cúpula sem precedentes entre o seu líder, Kim Jong Un, e o presidente norte-americano, Donald Trump, em 12 de Junho.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira da Coreia do Sul

Foto: foto divulgação

 
A Coreia do Norte disse na quarta-feira que pode não participar da cúpula se Washington continuar exigindo que Pyongyang abandone unilateralmente o seu arsenal nuclear.
 
O jornal japonês Asahi relatou nesta quinta-feira que os Estados Unidos exigiram que o governo norte-coreanos envie algumas ogivas nucleares, um míssil balístico intercontinental (ICBM) e outros materiais nucleares para o exterior no prazo de seis meses.


Segundo o jornal, que citou fontes familiarizadas com questões norte-coreanas, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, teria dito ao líder norte-coreano quando eles se encontraram neste mês que a Coreia do Norte poderia ser removida de uma lista de Estados patrocinadores do terrorismo se enviasse os itens nucleares para fora do país.
 
O Asahi também informou que, se Pyongyang concordar em completar uma desnuclearização verificável e irreversível na cúpula com os EUA em Singapura, Washington consideraria dar garantias ao regime de Kim.
 
Dúvidas sobre a cúpula EUA-Coreia do Norte surgiram na quarta-feira, quando Pyongyang denunciou os exercícios militares realizados por EUA e Coreia do Sul como uma provocação e cancelou conversações de alto nível com Seul.
 
Em reacção, o presidente dos EUA disse que não está claro se a cúpula irá acontecer, mas garantiu que continuará a insistir na desnuclearização da península coreana.
 
Uma autoridade da presidência da Coreia do Sul indicou que o seu país irá buscar aproximar Washington e Pyongyang. Segundo um funcionário da Casa Azul presidencial sul-coreana, o próprio presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, pretende agir mais activamente "no papel de mediador" entre Coreia do Sul, EUA e Coreia do Norte.

Assuntos Diplomacia  

Leia também
  • 17/05/2018 12:52:26

    May reafirma que Reino Unido deixará união aduaneira da UE

    Sófia - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse nesta quinta-feira que o país deixará a união aduaneira da União Europeia depois de sua desfiliação do bloco, mas uma fonte afirmou que Londres cogita aplicar as mesmas tarifas externas da UE durante algum tempo depois de Dezembro de 2020.

  • 16/05/2018 18:20:34

    Luxemburgo convoca embaixadora de Israel por violência em Gaza

    Cabul - O presidente afegão, Ashraf Gani, pediu nesta quarta-feira desculpas em nome do governo aos familiares das vítimas de um ataque aéreo em Kunduz (norte de Afeganistão) a dois de Abril no qual, segundo um relatório da missão da ONU no país (UNAMA), morreram pelo menos 36 pessoas, 30 delas crianças.

  • 16/05/2018 16:49:02

    Autoridade Palestiniana convoca embaixadores para consultas

    Ramallah, Territórios palestinianos - A Direcção palestiniana anunciou hoje que convocou para consultas os seus embaixadores em quatro países da União Europeia (UE), que enviaram representantes a uma cerimónia israelita por ocasião da abertura da embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém.