Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

17 Maio de 2018 | 12h52 - Actualizado em 17 Maio de 2018 | 12h51

May reafirma que Reino Unido deixará união aduaneira da UE

Sófia - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse nesta quinta-feira que o país deixará a união aduaneira da União Europeia depois de sua desfiliação do bloco, mas uma fonte afirmou que Londres cogita aplicar as mesmas tarifas externas da UE durante algum tempo depois de Dezembro de 2020.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar


Indagada sobre reportagens segundo as quais o seu governo pedirá para continuar na zona aduaneira da UE depois do fim de um período de transição pós-Brexit em 2020, May negou estar "recuando" dos planos de saída.
 
"Não. O Reino Unido deixará a união aduaneira, assim como estamos deixando a União Europeia. É claro que negociaremos futuros acordos aduaneiros com a União Europeia, e estabeleci três objectivos", disse May a repórteres nos bastidores de uma cúpula da UE na capital búlgara, Sófia.
 

Os objectivos, explicou, são que seu país tenha sua própria política comercial com o resto do mundo, tenha um comércio sem atrito com a UE e que não exista uma "fronteira dura" com a Irlanda, país-membro do bloco.
 
Mas uma fonte a par das discussões em Londres disse que alinhar o Reino Unido às tarifas de importação da UE por um período longo pode ser parte de um acordo de salvaguarda no caso de um atraso na implantação de qualquer acordo do Brexit.
 
A fonte disse, sob condição de anonimato, que o governo tenta encontrar uma forma de tornar o acordo de salvaguarda com a UE mais aceitável para o Reino Unido, ao invés de buscar uma prorrogação do período de transição.
 
May vem lutando para unir o seu governo quanto aos termos da separação britânica do bloco, e um desentendimento relativo aos futuros arranjos aduaneiros está a dividir o seu gabinete e a travar as negociações do Brexit.
 
Líderes da UE reunidos em Sófia nesta quinta-feira estavam em "modo de escuta" e a espera de  garantias da primeira-ministra, disse uma autoridade, antes de uma cúpula formal em junho na qual os lados querem obter mais um avanço nas negociações.
 
Isso é necessário para selar um acordo de separação definitivo em outubro, dando à UE tempo suficiente para ratificá-lo até o dia oficial do Brexit em Março de 2019.
 
Caso contrário o Reino Unido corre o risco de simplesmente se desligar do bloco, uma situação que pode prejudicar a economia e afectar o dia a dia dos cidadãos comuns.

Assuntos Diplomacia  

Leia também
  • 11/11/2018 05:30:56

    Reis da Espanha reforçarão cooperação institucional e económica com o Peru

    Madrid - O rei da Espanha, Felipe VI, viaja neste domingo para o Peru para iniciar com a rainha Letizia a primeira visita de Estado espanhola ao país em dez anos, que impulsionará a actual associação estratégica com uma ampla agenda de contactos institucionais, económicos, sociais e culturais.

  • 11/11/2018 04:21:56

    México diz que não aceitou acordo de cooperação com EUA sobre asilo

    Cidade do México - O Governo do México afirmou neste sábado que não aceitou "de maneira verbal ou escrita" nenhum acordo sobre cooperação em matéria de pedidos de asilo ou refúgio depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, endureceu este trâmite.

  • 08/11/2018 16:55:15

    Governo norte-coreano pede adiamento da reunião com os EUA

    Seul - A Coreia do Norte pediu aos Estados Unidos para adiar as negociações de alto nível programadas para esta semana em Nova Iorque, informou hoje o ministro das Relações Exteriores sul-coreano, Kang Kyung-wha, um dia depois de Washington anunciar o adiamento da reunião.

  • 08/11/2018 16:39:29

    Presidente chinês confirma reunião com Trump durante cimeira do G20 na Argentina

    Pequim - O Presidente da China, Xi Jinping, confirmou nesta quinta-feira que reunirá com o mandatário dos Estados Unidos, Donald Trump, durante a próxima cimeira de líderes do G20 que acontecerá no fim deste mês na Argentina, informou a agência "Xinhua".