Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

10 Janeiro de 2019 | 10h55 - Actualizado em 10 Janeiro de 2019 | 11h39

Cinco chefes de Estado confirmam presença na posse de Nicolás Maduro

Caracas - Os chefes de Estado de cinco países decidiram comparecer à posse de Nicolás Maduro como presidente da Venezuela, que acontecerá nesta quinta-feira, no meio de questionamentos sobre a legitimidade das eleições onde o líder foi reeleito.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Nicolas Maduro, Presidente da Venezuela (arquivo)

Foto: Google/Divulgação

Trata-se dos líderes da Bolívia, Evo Morales, da Nicarágua, Daniel Ortega, de Cuba, Miguel Díaz-Canel, de El Salvador, Salvador Sánchez Cerén, e da Ossétia do Sul (país não reconhecido pelas Nações Unidas), Anatoly Bibilov, encabeçam a lista de presidentes que acompanham Maduro, ao lado de outros 20 representantes internacionais.

Uma fonte do governo, que pediu anonimato, disse à Agência Efe que são mais de 100 delegações estrangeiras convidadas para a cerimónia, mas negou-se a dar outros detalhes sobre o assunto.

Até agora, o Ministério das Relações Exteriores venezuelano confirmou a presença do vice-presidente da Turquia, Fuat Oktay, o vice-presidente do Conselho da Federação da Assembleia Federal da Rússia, Ilyas Umakhanov, o ministro da Agricultura e Assuntos Rurais da China, Han Changfu, entre outros.

A deputada federal eleita e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, confirmou a sua presença na posse, enquanto países como o Uruguai e México designaram os seus encarregados de negócios em Caracas como representantes oficiais para este evento.

Opositores e vários países alertaram que não reconhecerão Maduro a partir de hoje, quando inicia a "usurpação" da presidência na Venezuela.

Por esta razão, a maioria dos países latino-americanos, incluindo o Brasil, não enviará nenhum representante para a posse, assim como os Estados Unidos e a União Europeia.

Assuntos Venezuela  

Leia também