Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

11 Julho de 2019 | 13h10 - Actualizado em 11 Julho de 2019 | 13h10

Parlamento Europeu vota nome de Von der Leyen dia 16 deste mês

Bruxelas - A votação para a eleição da alemã Ursula von der Leyen, designada pelo Conselho Europeu para a presidência da Comissão Europeia, decorrerá na tarde de terça-feira (16) na sessão plenária do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, França, foi hoje anunciado.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Vista Frontal do Edifício da Comissão Europeia em Bruxelas

Foto: Rosario dos Santos

“A conferência de presidentes do Parlamento Europeu decidiu que a declaração de Von der Leyen terá lugar na próxima terça-feira, 16 de Julho, às 9:00 [hora local]. O debate decorrerá até às 12:30. A votação para eleição da presidente da Comissão está agendada para o mesmo dia, às 18:00”, precisou o porta-voz da assembleia europeia, Jaume Duch, na sua conta na rede social Twitter.

A candidata designada pelo Conselho Europeu para a presidência da Comissão Europeia esteve reunida na quarta-feira com a conferência de presidentes do Parlamento Europeu, assim como com vários grupos políticos com assento no hemiciclo.

A ainda ministra da Defesa alemã necessita de obter uma maioria absoluta na votação agendada para a próxima terça-feira - metade dos eurodeputados mais um (376) – para ser presidente da Comissão Europeia, mas após a ronda de consultas com as famílias políticas a sua nomeação não parece certa.

Enquanto o grupo dos Socialistas e Democratas (S&D) e os liberais do Renovar a Europa mantiveram a indecisão quanto ao sentido de voto das suas bancadas, condicionando-o às respostas que a política alemã der aos seus pedidos e aos compromissos que estiver disposta a assumir, os Verdes foram mais taxativos, declarando que não apoiarão a candidata indigitada na votação da próxima semana.

O nome de Ursula von der Leyen foi o ‘eleito’ pelo Conselho Europeu há uma semana, depois de uma longa maratona negocial que se prolongou durante três dias.

O processo foi duramente criticado por todas as famílias políticas no debate com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, realizado em 04 de Julho, sobretudo por os Estados-membros terem deixado cair o modelo dos “candidatos principais”, ou ‘Spitzenkandidat’, que fora introduzido em 2014 e que o Parlamento queria que continuasse a servir para a eleição do presidente da Comissão.

À candidata alemã basta o apoio das três maiores famílias políticas – o ‘seu’ Partido Popular Europeu (PPE), socialistas e liberais –, as que estão representadas no Conselho Europeu e que acordaram o ‘pacote’ de nomeações para os cargos institucionais de topo da União Europeia para os próximos cinco anos.

Assuntos Eleições  

Leia também
  • 10/07/2019 06:34:42

    Harris e Castro lideram entre latinos como pré-candidatos democratas

    Washington - Kamala Harris e Julián Castro lideram as preferências dos eleitores hispânicos entre os pré-candidatos às presidenciais de 2020 nos Estados Unidos, após os debates realizados no fim de Junho, informou nesta terça-feira (9) a consultoria de opinião pública Latino Decisions, noticiou a AFP.

  • 08/07/2019 10:37:26

    Tsipras reconhece derrota e felicita líder da Nova Democracia

    Atenas - O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, reconheceu hoje a sua derrota nas eleições legislativas antecipadas de domingo e felicitou o vencedor, o líder da Nova Democracia, Kyriakos Mitsotakis, noticiou a agência EFE.

  • 08/07/2019 09:38:15

    Resultados dão maioria absoluta à Nova Democracia

    Atenas - Os conservadores da Nova Democracia ganharam, com 39,8 por cento dos votos, as eleições legislativas na Grécia, contra os 31,5 por cento do Syriza, e a abstenção situou-se nos 42 por cento, no momento em que estão apurados 94 por cento dos resultados, noticiou hoje a Lusa.