Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

03 Novembro de 2020 | 09h16 - Actualizado em 03 Novembro de 2020 | 08h25

Líder de Hong Kong viaja até Pequim em busca de apoio económico

Hong Kong - A chefe do Executivo de Hong Kong viaja hoje para Pequim, onde se vai reunir com as autoridades chinesas, para revitalizar a economia da região semi-autónoma e discutir a reabertura das fronteiras com a China.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira de Hong Kong

Foto: Divulgação

Carrie Lam disse que as reuniões, entre quarta-feira e sexta-feira, incluem discussões sobre como Hong Kong se pode integrar nos planos de desenvolvimento da China, e como o território pode cooperar com Shenzhen, adjacente à região administrativa, no âmbito do plano de integração regional da Grande Baía.

Shenzhen, uma das mais prósperas cidades chinesas, foi usada como laboratório da abertura do país à economia de mercado, nos anos 1980, tornando-se num centro global para a indústria electrónica e sede das principais firmas tecnológicas da China.

A responsável também disse aos jornalistas que planeia abordar quando é que Hong Kong e a China podem retomar o fluxo de pessoas, sem a necessidade de realizar quarentena.

Desde Março passado, devido à pandemia do novo coronavírus, os residentes da China e de Hong Kong são obrigados a ficar em quarentena, por duas semanas, sempre que cruzam a fronteira.

"Isto é muito importante para retomar a actividade económica, desde a prestação de serviços profissionais, visitas a familiares e idas à escola", disse.

A viagem de Lam a Pequim acontece depois do adiamento do discurso anual sobre o futuro da cidade, alegando que o apoio de Pequim vai permitir um discurso capaz de aumentar a confiança no futuro económico de Hong Kong.

A confiança no estatuto semi-autónomo de Hong Kong, prometido à cidade aquando da transferência da soberania do Reino Unido para a China, em 1997, foi abalada, este verão, com a imposição da lei de segurança nacional ao território por Pequim.

A economia de Hong Kong foi igualmente afectada pela pandemia.

Questionada sobre a eleição presidencial nos Estados Unidos, Lam disse esperar que o próximo Presidente considere a importância de Hong Kong nas relações entre a China e os Estados Unidos.

"Espero que a nova administração dos EUA lide com as relações com Hong Kong de forma abrangente, tendo em consideração os interesses de muitas empresas norte-americanas em Hong Kong, que empregam muitas pessoas, e que não permita irreflectidamente que considerações políticas tenham um efeito injustificado sob Hong Kong", disse.

Assuntos Internacional  

Leia também
  • 03/11/2020 08:23:03

    Três mortos e 15 feridos nos ataques em Viena

    Viena - Três pessoas morreram e 15 ficaram feridas numa série de ataques com armas automáticas na segunda-feira à noite em Viena (Áustria), segundo um novo balanço das autoridades austríacas.

  • 03/11/2020 07:38:50

    Norte-americanos escolhem hoje o próximo Presidente

    Washington - Os norte-americanos escolhem hoje o próximo Presidente, numa altura em que mais de 80 milhões de eleitores já votaram antecipadamente e sem certezas de quando haverá um resultado final.

  • 02/11/2020 00:01:11

    Covid-19: França soma mais 231 mortos e ultrapassa 1,4 milhões de infecções

    Paris - A França registou nas últimas 24 horas 231 mortes associadas à covid-19 e 46.290 novas infecções pelo novo coronavírus, aumentando para 1.413.915 o número total de infectados desde o início da pandemia, divulgaram hoje as autoridades francesas.