Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

08 Fevereiro de 2018 | 18h59 - Actualizado em 08 Fevereiro de 2018 | 18h59

Defendido apoio do empresariado na organização do Carnaval

Mbanza Kongo - O apoio da classe empresarial na organização do Carnaval foi advogado hoje, quinta-feira, em Mbanza Kongo, província do Zaire, por responsáveis de alguns grupos locais que preparam os seus desfiles no Entrudo deste ano.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Grupo carnavalesco "Unidos do Nzeto" (arquivo)

Foto: Pedro Moniz Vidal

Em declarações à Angop, os responsáveis dos grupos carnavalescos do Zaire acham que o Executivo não deve ser o único órgão responsável pela organização e patrocínio das colectividades participantes do Entrudo, por isso defendem a necessidade dos empresários apoiarem também o evento.

O responsável do grupo "Avante Paz", Afonso Mundonga, é de opinião que a estrutura do carnaval deve conhecer um novo figurino que permita aliviar o Estado de todos encargos financeiros da realização do Entrudo.

O carnaval, ressaltou, é também um espaço onde as empresas podem publicitar os seus produtos, serviços e marcas, em troca de patrocínios.

Lamentou o desinteresse de certos empresários da região em apoiar a festa da maior manifestação cultural do país.

"Essa postura só demonstra certo desconhecimento das vantagens que o Carnaval pode representar para o mercado e para as próprias empresas", reforçou.

Segundo o director artístico do grupo carnavalesco “União da Mangueira”, Manuel Barros, em certos país o Carnaval já constitui um produto turístico vendável que permite arrecadar receitas para o Estado e fonte de negócio para os empresários locais.

Para tal, ressaltou, é necessária uma aposta forte da classe empresarial e das indústrias turísticas, assim como a reformulação de toda a máquina organizativa do evento para tornar esta manifestação cultural mais atractiva para cidadãos.

Já o responsável do grupo “Ngangula, Joel Santos, disse que havendo patrocinadores permanentes do Carnaval permitirá que os grupos passassem a realizar os seus ensaios regularmente, ao invés de apenas o fazerem semanas antes de cada edição.

Trinta e oito grupos carnavalescos, oriundos dos seis municípios da província do Zaire, vão participar no desfile de dia 13, a decorrer na cidade de Mbanza Kongo.

Assuntos Carnaval   Província » Zaire  

Leia também