Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

17 Maio de 2018 | 08h50 - Actualizado em 17 Maio de 2018 | 08h50

Artistas de Cabinda insatisfeitos com UNAC

Cabinda - Os artistas de Cabinda estão insatisfeitos com o empenho da comissão directiva cessante da União Nacional dos Artistas e Compositores (UNAC) e prometem não votar em sua eventual lista, nas eleições da agremiação marcadas para 23 de Junho próximo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O facto foi avançado à Angop pelo músico Alberto Inácio "Paifuidi", sublinhando que os músicos de Cabinda estão decididos em apoiar uma outra lista para dirigir os destinos da organização.

A comissão directiva cessante, liderada por José Massano Júnior, acrescentou, não correspondeu às expectativas da classe artística local nas mais variadas questões que enfrentam.

Disse pretender-se com isso dar oportunidade à nova direcção para inverter o quadro negativo que a classe vive e depositar toda confiança em outra lista concorrente.

Paifuidi apontou a resoluão da problemática de pensão de reforma dos artistas de Cabinda, da subvalorização dos artistas desta província em termos do cachet, não dotação do fundo de maneio à representação da UNAC há mais de dois anos, são, dentre outros, as promessas não cumpridas pela direcção cessante.

A mesma posição é corroborada pelo representante cessante da UNAC em Cabinda, António Paulino, para quem a agremiação precisa de uma força revitalizadora devido à ineficácia da actual comissão directiva, garantindo não se rever numa eventual lista desta por não satisfazer os anseios dos artistas locais.

Segundo António Paulino, a UNAC em Cabinda controla 641 membros de todas as disciplinas artisticas, dos quais só 51 estão habilitados em votar nas eleições de 23 de Junho, para a renovação dos órgãos sociais da instituição, por terem as quotas pagas. 

António Paulino realçou que durante o seu mandato a comissão técnica da UNAC em Cabinda conseguiu aglutinar os artistas das diversas disciplinas das belas artes e harmonizar as relações entre os membros, quando no passado parecia ser uma organização exclusiva dos músicos.

O veterano músico Medita Makele reconhece que a UNAC enfrenta muitas dificuldades decorrentes da conjuntura económica e financeira do país,  que terá influenciado a prestação da instituição relativamente aos problemas do seus filiados. Assegurou votar no candidato que melhor programa apresentar para o bem da classe artista de Cabinda, em particular, e do país em geral.

Por sua vez, o também músico Zizi Boy, apesar de reconhecer as dificuldades que a UNAC enfrenta, pediu mais atenção aos problemas da classe artística no seu todo e acabar com o espezinhamento dos artistas locais em termos de cachet.

Assuntos Província » Cabinda  

Leia também