Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

13 Março de 2020 | 22h48 - Actualizado em 13 Março de 2020 | 22h51

União dos Escritores homenageia Arnaldo Santos

Luanda - A União dos Escritores Angolanos (UEA) homenageou hoje, sexta-feira, o escritor Arnaldo Santos, pelo seu contributo em prol do desenvolvimento da literatura nacional.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

UEA homenageia Escritor Arnaldo Santos

Foto: Henri Celso

Ao intervir no início do evento, o secretário-geral da UEA, David Capelenguela, considerou Arnaldo Santos um homem de arte, que muito cedo dedicou-se às letras e continua a contribuir para o seu desenvolvimento.

Justificou que homenagear o autor de “O Mais-velho Menino dos Pássaros” é evidenciar o nível mais alto da história da literatura angolana, da pureza da escrita, da leitura e do livro, que são os pilares que sustentam a realização do evento.

“O escritor na sociedade tem um lugar merecido. A homenagem permite construir a convicção de que Arnaldo Santos não é um simples escritor, tendo aos 20 anos de idade publicado a sua primeira colectânea de contos que intitulou Kinaxixi”, salientou.

Na ocasião, Arnaldo Santos agradeceu o gesto da UEA, bem como a presença de familiares, amigos e apreciadores do seu trabalho.

No final do evento, o escritor inaugurou uma exposição fotográfica, que retrata a sua trajectória no mundo da literatura.

Arnaldo dos Santos nasceu a 14 de Março de 1935, na Ingombota, em Luanda.

Na década de 50 integrou o chamado “Grupo da Cultura”. Colaborou em várias publicações periódicas da capital entre as quais a revista “Cultura”, o Jornal de Angola (da década de 50), “ABC” e “Mensagem”, da Casa dos Estudantes do Império”. É membro fundador da UEA.

Aos 20 anos publicou a sua primeira colectânea de contos, “Quinaxixi”. Com o livro de crónicas, “Tempo do Munhungo”, conquistou em 1968 o Prémio Mota Veiga, o mais importante antes da Independência nacional.

Assuntos Literatura  

Leia também