Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

09 Outubro de 2020 | 13h50 - Actualizado em 09 Outubro de 2020 | 16h38

INAC apoia "Biblioteca Despadronizada"

Luanda - Um donativo composto por livros e panfletos sobre direitos da criança, proveniente do Instituto Nacional da Criança (INAC), foi entregue, nesta sexta-feira, aos mentores da "Biblioteca Despadronizada", adaptada no Bairro KM9 B, Grafanil, município de Viana, Luanda.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

"Biblioteca Despadronizada", debaixo da pedonal do Caminho de Ferro de Luanda, na Robaldina, Estalagem

Foto: Clemente dos Santos

Secretária de Estado para a Família e Promoção, Elsa Barber, entrega livros aos mentores do projecto "Biblioteca Despadronizada"

Foto: Clemente dos Santos

Constam do lote, entregue pela secretária de Estado para a Família e Promoção da Mulher, Elsa Barber, livros como "Histórias do Musseque", "Emitação de Sartre e Simon D auvoir" e "A Mangueira dos Kwanzas", de Jofre Rocha, João Melo e Wilson Neves, respectivamente.

O material vem enriquecer um espaço literário improvisado, nascido debaixo da pedonal do Caminho de Ferro de Luanda (CFL), Distrito Urbano da Estalagem, que tem concentrado dezenas de leitores, neste período de pandemia.

Segundo Elsa Barber, que visitou o projecto dos mentores, Arantes Kivuvu e Francisco Mapanda, trata-se de uma iniciativa louvável, que permite a leitura ao ar livre e contribui para a saúde mental das pessoas.

Disse que a sua visita, de âmbito social, permitiu constatar que, apesar do espaço não ser muito condigno, há, além da leitura, aulas de alfabetização e jogos, como xadrez.

"Alegra-nos o projecto, pelo que incentivamos a Administração da Estalagem a arranjar um espaço que dê alguma dignidade. De louvar também o facto de esse espaço, anteriormente aproveitado para balneário público, hoje ser recuperado”, asseverou.  

A administradora adjunta do Distrito Urbano da Estalagem para área Política e Social, Emília Nunda, assegurou que a instituição vai fazer tudo para encontrar um espaço com melhores condições para o projecto dos jovens mentores.

Lamentou o facto de o espaço actual não ter, por exemplo, casas de banho para atender as crianças, jovens e adultos que ali acorrerem para ler livros.   

Disse acreditar que o próximo ano (2021), a juventude ávida em ler, da Estalagem, possa ter já um espaço condigno, com áreas de lazer, casas de banho, podendo mesmo ser próximo da Avenida Deolinda Rodrigues.

Arantes Kivuvu e Francisco Mapanda, mentores do projecto de leitura gratuita, iniciado a 01 de Setembro deste ano, mostraram-se satisfeitos com a doação dos livros e a visita da secretária de Estado para a Família e Promoção da Mulher.

Francisco Mapanda indicou que pretendem receber mais ofertas de modo a ocuparem, cada vez mais, parte do seu tempo a incentivar e dar a oportunidade às pessoas a lerem.

Arantes Kivuvu revelou que para sobreviver vende cigarros e pacotes de Whisky, no mesmo local, actividade que desenvolve antes da criação da Biblioteca Despadronizada.

O director geral do Instituto Nacional da Criança (INAC), Paulo Kalesi, fez saber que os livros doados visam, entre outros objectivos, incentivar os mentores do projecto a passarem para as crianças os seus direitos, de modo a que saibam os mesmos e possam conhecer as instituições onde poderão recorrer, em caso de violação.

Abel Cassinda, 11 anos, aluno da 4ª classe (morador do KM 9-B-Estalagem), disse que há duas semanas frequenta o espaço de leitura debaixo da pedonal do CFL, onde já leu quatro livros.

No entanto, destacou a obra infantil “As caras da mãe”, de Rita Ferreira, que, segundo ele, fala de um bebé traquino, que incomoda muito a mãe e que está só se torna feliz, quando o mesmo adormece.

Marquinho Fernando, de 38 anos, morador do KM 9-A, na Estalagem, entende que o projecto de leitura é de extrema importância.

O entrevistado, que trabalha, por mês, duas semanas, por conta da pandemia da Covid-19, aproveita as restantes semanas para passar na Biblioteca Despadronizada, a fim de  fazer a aquisição de mais conhecimentos.

A biblioteca, que existe desde 01 de Setembro deste ano, com uma presença de pelo menos 500 leitores dia, oferece, das seis horas até às 17 horas, um universo de mil e duzentos livros, desde os de Direito, Literatura, Filosofia, Matemática e banda desenhada, além de jogos de xadrez e aulas de alfabetização.

Leia também
  • 06/10/2020 08:21:31

    Percurso Histórico do Golfe em livro

    Luanda - A obra “O Percurso Histórico do Bairro Golfe- Ngoló e Sua Gente”, da autoria de Manuel Bartolomeu Dias, será apresentada sexta-feira ao público.

  • 22/09/2020 19:58:53

    Angariados 300 livros para biblioteca no Mussulo

    Luanda - Trezentos livros diversos foram angariados, esta terça-feira, durante a abertura da uma campanha de doação para a criação de uma biblioteca na comuna do Mussulo município de Talatona, em Luanda.

  • 27/07/2020 18:07:30

    MCTA define medidas para retoma das actividades

    Luanda - O Secretário de Estado do Turismo, Hélder Marcelino Chingunde, advertiu, nesta segunda-feira, as instituições ligadas ao sector que a violação às medidas de prevenção e combate à Covid-19 será considerada desobediência às autoridades.