Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

09 Maio de 2018 | 19h08 - Actualizado em 09 Maio de 2018 | 19h07

Representante de Angola em Nairobi acreditado pela ONU

Luanda - O embaixador extraordinário e plenipotenciário de Angola na República do Quénia, Sianga Samuel Abílio, foi acreditado hoje, quarta-feira, como Representante Permanente do país junto dos Escritórios das Nações Unidas em Nairobi.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Sianga Abílio - Embaixador de Angola no Quenia e Representante Permanente Junto dos Escritórios da ONU em Nairobi

Foto: Joaquina Bento

O diplomata entregou as cartas credenciais a embaixadora Sahle-Work Zewde, secretária-geral adjunta e directora-geral dos Escritórios das Nações Unidas em Nairobi, em representação do Secretário-Geral da organização, António Guterres.

No final da cerimónia, o diplomata abordou, com a directora-geral dos Escritórios das Nações Unidas em Nairobi, a transição política em Angola e a colaboração e envolvimento dos Estados membros dentro do sistema das Nações Unidas, principalmente os estados africanos.

A conferência de alto nível sobre a economia azul sustentável, a decorrer em Nairobi de 26 a 28 de Novembro de 2018, também foi abordada no encontro de cortesia.

O diplomata angolano manifestou a pretensão de Angola reforçar a cooperação com a Organização das Nações Unidas.

Sianga Abílio foi nomeado embaixador pelo Presidente da República, João Lourenço, na primeira semana de Fevereiro último e empossado no cargo no dia 12 do mesmo mês.

Na última sexta-feira (4 de Maio), o diplomata angolano apresentou, ao Presidente da República do Quénia, Uhuru Kenyatta, as cartas credenciais que o acreditam como embaixador extraordinário e plenipotenciário de Angola neste país.

Assuntos Angola   Diplomacia   ONU  

Leia também