Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Reconstrução Nacional

28 Outubro de 2018 | 07h41 - Actualizado em 28 Outubro de 2018 | 06h33

Malanje: Obras do troço Talamungongo/Cambundi-Catembo suspensas por má qualidade

Malanje - O ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, determinou, sábado último, a suspensão das obras do troço Talamungongo/Cambundi Catembo, na Estrada Nacional 160, numa extensão de 66 quilómetros, por falta de qualidade, tendo em conta os critérios usados na sua execução.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O ministro deu tal orientação no final de uma visita de constatação, que visou inteirar-se sobre o andamento das obras das estradas da região Songo, que compreende os municípios de Cambundi-Catembo, Luquembo e Quirima.

A suspensão da obra, que está a cargo da empresa CR20, deve-se também ao facto de se alterar o que estava previamente estabelecido, sem a consulta e autorização do ministério de tutela, nomeadamente a aplicação de um revestimento superficial duplo, em vez da camada de desgaste de 5 centímetros, segundo o governannte.

Diante deste cenário, o ministério vai reunir-se na segunda-feira (29) com a empresa projectora da obra, a fiscalizadora e o empreiteiro, com vista a procurarem outras soluções técnicas e estudarem o tipo de material a usar.

“A qualidade deve estar acima de tudo, por ser a premissa mais importante na execução das obras”, disse o ministro, acrescentando ser crucial que estes pressupostos sejam sempre salvaguardados.

A referida empreitada, que arrancou em 2016 cuja entrega estava prevista para este ano, tem apenas asfaltado 36 dos 66 quilómetros.

Por sua vez, o fiscal de obras da empresa Rodrisol, Alcides Félix, disse que as alterações foram aprovadas pelo INEA (Instituto Nacional de Estradas de Angola), alegando que a fiscalização não tem competências para tal.

Quanto aos troços Caxinga/Talamungongo e Mussolo/Dumba Cabango com 43 quilómetros cada, a cargo das empresas Transtech e SINOHYDRO, respectivamente com 93 e 97 por cento de execução física, o ministro mostrou-se satisfeito, sem no entanto apontar data para entrega.

No prosseguimento da sua jornada de campo, Manuel Tavares de Almeida inteirou-se dos trabalhos de reabilitação dos 68 quilómetros do troço Cacuso/Malanje, na Estrada Nacional 230. Esta obra está a cargo da empresa Carmo e está já a 91 por cento de materialização, prevendo-se a sua entrega para Dezembro deste ano.

Assuntos Província » Malanje  

Leia também