Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Reconstrução Nacional

31 Outubro de 2018 | 13h40 - Actualizado em 01 Novembro de 2018 | 09h43

Ravina pode cortar estrada Cucumbi-sede do Cacolo

Cacolo - O alastramento da ravina entre a comuna do Cucumbi e a sede municipal de Cacolo, província da Lunda Sul, pode cortar a estrada entre a duas localidades, o que faz a população solicitar a contenção urgente.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Habitantes da comuna de Cucumbi, entre os quais Domingos Muaquixi e José Muaco, manifestaram sua preocupação à Angop, tendo em conta que as fortes chuvas já destruíram parte do asfalto.

Sugeriram que, enquanto se espera por trabalhos profundos, se façam outros ligeiros para conter a progressão da ravina de uns 30 metros de profundidade.

José Muaco indicou, como exemplo, o plantio de bambus para fortificar a terra e impedir o alastramento da ravina que, além de dificultar a circulação, à noite serve de esconderijo de bandidos que roubam motorizadas e outros bens da população.

O administrador municipal do Cacolo, Wilson Esperança, prometeu, para breve, trabalhos paliativos, enquanto se esperam pelos definitivos.  

Ao todo, três ravinas existem no município, sendo uma no morro de Tato, antes do rio Cucumbi, que já destruiu uma parte do asfalto, e duas progridem do rio Cacolo ao ex-hospital municipal.

Além das ravinas, afirmou merecer atenção as pontes degradadas sobre os rios Mwangueji, Muize, Camifufo e Lusse nos troços de Satxissela, Caiombo, Samuquixi e Muacandala e outras que dão acesso às aldeias da comuna do Alto Chicapa, sob pena de desabarem em consequência das chuvas.

Em relação às ravinas, o director do Gabinete provincial das Obras Públicas e Infraestruturas no Lunda Sul, Esmeraldino Pemessa, explicou que uma das razões da progressão da ravina tem a ver com a má construção das obras da estrada nacional 170-Cacolo-Cucumbi e comuna do Chassengue.

Fez saber que o governo está a desviar o caudal da vala de acesso à ravina para construir uma outra pavimentada, para regredir a sua progressão e desassorear os rios.

Outro trabalho completo, segundo o responsável, será feito por meio do Ministério das Obras Públicas em 2019.

A comuna do Cucumbi,  37 quilómetros a Oeste da sede municipal do Cacolo, ocupa 2.602.08 quilómetros quadrados que são habitados por 3.320 habitantes, de acordo com o censo habitacional e populacional de 2014.

Leia também