Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

12 Março de 2018 | 07h00 - Actualizado em 12 Março de 2018 | 12h00

Taxa de mortalidade no Augusto Ngangula baixou em 2017

Luanda - A taxa de mortalidade materna reduziu, na Maternidade Augusto Ngangula, para 73, em 2017, contra 173, de 2016, afirmou, domingo, a directora geral do hospital, Lígia Alves.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Lígia Alves - Directora do hospital Augusto Ngangula (Arquivo)

Foto: Lucas Neto

Em declarações à Angop, a médica afirmou que esta redução deveu-se a formação contínua dos quadros, cumprimento rigoroso dos protocolos de orientação clínica e a humanização dos serviços, com palestras, seminários e aulas de ética e deontologia profissional.

Lígia Alves acrescentou que o número de bebés mortos também reduziu de mil 25 (2016) para 796, em 2017.

Acrescentou que, em 2017, a maternidade realizou 15 mil 714, enquanto em 2016, 15 mil  667 partos.

Frisou que, apesar de, em 2017 terem sido atendidas 24 mil 69 mulheres houve menos mortes do que em 2016 em que foram assistidas 23 mil 496 senhoras no banco de urgência, adiantando que o sucesso deveu-se as estratégias criadas para a redução da mortalidade materna e neonatal naquela unidade hospitalar.

Disse ainda que o maior número de mortes na maternidade ocorre em mulheres que dão entrada tardiamente com problemas hemorrágicos causados por partos iniciados em casa ou por não frequentarem as consultas pré-natal. 

Lígia Alves disse ainda que, o hospital organizou o atendimento aos familiares dos doentes, tornando-o mais humanizado, para reduzir o fluxo de permanência de utentes defronte ou nas proximidades da unidade hospitalar.

Por exemplo, os familiares têm a oportunidade de visitar o seu doente a partir das 7h30 até as 8h00, para  obterem informações de como passou a noite, saber o diagnóstico e a evolução do paciente. Para além das visitas que começam as 17h00 e terminam as 18h00.

A maternidade Augusto Ngangula possui 50 médicos e 323 enfermeiros, tem três ambulâncias para facilitar a evacuação de uma unidade para outra e a recolha de doentes em caso de emergência.

Assuntos Serviços de saúde  

Leia também
  • 18/03/2018 12:53:18

    Programa de gestão de desastres socorre mais de trinta cidadãos

    Cuito - Os socorristas do projecto, gestão de desastres da Cruz Vermelha de Angola(CVA) no Bié socorreram, de Janeiro à presente data, 36 pessoas, menos quinze com relação a igual período anterior, vítimas de acidentes e outras enfermidades encontradas na via pública da cidade do Cuito informou hoje, domingo, o seu delegado, Ângelo Sassongo.

  • 14/03/2018 10:25:02

    Crianças internadas recebem bens no Bié

    Cuito - Cinquenta e oito crianças internadas no centro de nutrição do Hospital Central do Bié beneficiaram hoje, quarta-feira, na cidade do Cuito, de bens de primeira necessidade doados pela OMA, no âmbito da jornada "Março Mulher".

  • 13/03/2018 13:56:20

    Serviços de Cardiologia em funcionamento no Hospital-Geral

    Menongue - O serviço de cardiologia do Hospital-Geral do Cuando Cubango está funcional há mais de 10 dias, depois da sua inauguração no mês de Agosto de 2017, informou, terça-feira, a directora da unidade sanitária de referência na região, Elsa Calenga.

  • 12/03/2018 13:53:45

    Hemoterapia do Andulo com falta de sangue

    Andulo - A hemoterapia do hospital municipal do Andulo, 130 quilómetros, a Norte da cidade do Cuito, província do Bié, regista falta de sangue há dez dias, informou hoje, segunda-feira, à Angop, o director da unidade sanitária, Januário Lopes.