Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

14 Junho de 2018 | 16h18 - Actualizado em 14 Junho de 2018 | 17h01

Familiares sustentam bancos de sangue dos hospitais do Lubango

Lubango - A falta de sangue nas principais unidades sanitárias do Lubango condiciona o normal funcionamento das áreas de hemoterapia, uma vez que as doações são sustentadas pelos familiares dos pacientes, constatou hoje, quinta-feira, a Angop, no Dia Mundial do Doador de Sangue.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Jovens doam sangue

Foto: Morais Silva

Os responsáveis das áreas de hemoterapia dos hospitais Central do Lubango, António Agostinho Neto e Maternidade “Irene Neto” foram unânimes em dizer que os centros registam roturas nos seus stock's, por existirem poucos doadores voluntários.

Bernardete Pinto, do Hospital Central do Lubango, caracterizou o quadro de “crítico”, justificando que o hospital é sustentado por familiares dos pacientes e doadores remunerados por estes.

Diariamente, o hospital opera entre 12 a 15 transfusões sanguíneas sobretudo na área de cirurgia.F

Fez saber que o hospital tem sido contemplado com doações vindas de algumas igrejas e associações juvenis, mas a última vez que isso aconteceu foi em Março, com 18 bolsas, quando a necessidade fixa-se em 50 e a capacidade do banco é de cem.

Realçou que os grupos sanguíneos mais difíceis são os negativos, com destaque para ABRH.

Daniel Raul, da maternidade, disse que a situação do banco de sangue é preocupante, uma vez que são realizados uma média de 12 partos/dia, mas normalmente são feitas 15 transfusões a cada 24 horas, também sustentadas por familiares.

Disse que o banco de sangue do hospital tem uma capacidade para 500 bolsas, mas hoje tem apenas três balões.

Ana Cordeiro, da pediatria do Lubango “Pioneiro Zeca” gaba-se que a unidade regista poucas queixas de rotura do stock, pois uma bolsa de sangue de 450 mililitros pode servir para dez crianças, dependendo da necessidade de cada uma.

Disse que a dificuldade tem sido em encontrar o sangue do tipo AB e os de factores negativos, indicando que os principais dadores são igualmente familiares e algumas corporações e associações religiosas. Diariamente são realizadas entre duas a três transfusões.

O Dia Mundial do Doador de Sangue comemora-se anualmente a 14 de Junho desde 1868 em homenagem ao médico austríaco Karl Landsteiner, com objectivo de sensibilizar a sociedade para necessidade de sangue inócuo e seus derivados para transfusões e para a importante contribuição dos doadores voluntários.

Assuntos Província » Huíla   Saúde  

Leia também
  • 11/11/2018 09:18:48

    Sector da saúde reforçado com novas viaturas

    Mbanza Kongo - Três novas viaturas, das quais uma ambulância para o suporte avançado do serviço de neo-natal foram entregues sábado, em Mbanza Kongo, ao sector da saúde na província do Zaire.

  • 11/11/2018 08:04:26

    Consumo exagerado de álcool faz mais de dois mil feridos

    Malanje - Dois mil e 402 casos de agressões físicas foram registados de janeiro a setembro deste ano (mais 757 em relação a igual período anterior ), no banco de Cirurgia e Ortopedia do Hospital Regional de Malanje, provocados por consumo excessivo de bebidas alcoólicas e drogas.

  • 08/11/2018 18:03:46

    Sessenta crianças morrem de má nutrição no Cunene

    Ondjiva - Sessenta crianças, de zero aos cinco anos de idade, morreram de má nutrição severa e aguda moderada, de um total de 3.978 casos registados no decurso dos últimos nove meses em diferentes unidades sanitárias da província do Cunene.

  • 08/11/2018 12:30:02

    Médicos militares analisam prevenção de doenças

    Luanda - Médicos militares estão reunidos, desde hoje, quinta-feira, na XI jornadas médicas para analisar como prevenir a proliferação das doenças, sobretudo as mais perigosas do ponto de vista médico-sanitário destacando-se o VIH/Sida, a malária , tuberculose e a hipertensão.