Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

30 Março de 2020 | 18h39 - Actualizado em 30 Março de 2020 | 18h38

Covid-19: Síntese Mundial

Luanda - O continente europeu, com mais de 396 mil infectados e perto de 25 mil mortos, é aquele onde se regista actualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 10.779 mortos em 97.689 casos confirmados até domingo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Dístico do COVID-19

Foto: Divulgação

A Espanha é o segundo país com maior número de mortes, registando 7.340, entre 85.195 casos de infecção confirmados até hoje, enquanto os Estados Unidos são o que tem maior número de infectados (143.055).

Os países mais afectados a seguir a Itália, Espanha e China são o Irão, com 2.757 mortes reportadas até hoje (41.495 casos), a França, com 2.606 mortes (40.174) e os Estados Unidos com 2.514 mortes (143.055). 

O Reino Unido contabiliza já 1.408 mortes entre 22.141 casos de pessoas infectadas com o novo coronavírus. O número de óbitos aumentou 180 nas últimas 24 horas, contra 209 no domingo e 260 no sábado, enquanto que o número de pessoas infectadas aumentou 2.107 relativamente ao valor divulgado no domingo. 

As autoridades iranianas anunciaram hoje 117 novas mortes devido ao novo coronavírus, o que faz aumentar para dois mil 757 o número total de vítimas mortais da doença no Irão.

O número de mortes por Covid-19 em África chegou a 148, já o número de casos de pessoas infectadas se aproxima dos 5 mil em 46 países do continente.

Até ao final da manhã desta segunda-feira (30.03), 20 países africanos registaram vítimas mortais associadas ao novo coronavírus.

O levantamento do CDC África aponta ainda que 335 pessoas que haviam sido infectadas estão agora recuperadas.

Nos PALOP, Angola confirmou sete caso de infecção e duas primeiras mortes associadas à Covid-19.

Cabo Verde regista seis casos e uma morte, enquanto Moçambique e Guiné-Bissau confirmaram o mesmo número de casos, oito.

Dos países lusófonos, apenas São Tomé e Príncipe não tem qualquer caso confirmado.

Mais registos de casos

O norte de África é a região que regista mais contágios e mortes associadas à doença, contabilizando 1.922 infecções, 105 mortes e 223 doentes recuperados.

Na África Austral há 1.346 infectados, quatro mortos e 31 pessoas conseguiram recuperar.

A África Ocidental regista 861 casos de infecção, que resultaram em 22 mortes e 66 recuperações.

Dos 55 países e territórios membros da União Africana, 24 decretaram o encerramento total das fronteiras, 10 suspenderam os voos internacionais e 14 impuseram restrições a viagens ou à entrada de estrangeiros provenientes de determinados países.

A maioria dos estados da União Africana decretou quarentena obrigatória para os viajantes oriundos de países de risco.

A situação de pandemia foi declarada pela Organização Mundial de Saúde depois que o surto que começou em Dezembro na China se espalhou pelo mundo. O novo coronavírus já infectou mais de 700 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 33 mil morreram.

Assuntos Internacional  

Leia também
  • 24/03/2020 19:33:23

    Síntese Mundial

    Luanda - Mais 16 mil pessoas já morreram em todo o mundo infectadas por covid-19, de acordo com o último balanço da Organização Mundial da Saúde (OMS) a partir de dados oficiais divulgados hoje até às 18h30.

  • 24/03/2020 14:47:14

    Covid-19: Síntese Mundial

    Luanda - A Itália continua a ser o país do mundo com mais vítimas mortais por coronavírus, com um registo de mais de seis mil mortes num total de mais de 17 mil óbitos em todo o planeta.

  • 23/03/2020 19:12:12

    Covid-19: Síntese Mundial

    Luanda - A Organização Mundial de Saúde (OMS) destacou que os crescentes números de casos de infecção a nível global demonstram que a pandemia está a acelerar.