Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

12 Janeiro de 2018 | 17h42 - Actualizado em 12 Janeiro de 2018 | 17h41

Exercício pastoral requer bastante responsabilidade

Huambo - O exercício pastoral nas igrejas requer bastante responsabilidade, para evitar que dele resultem actos indecentes que escandalizem a sociedade, como tem se verificado, frequentemente, no país.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A afirmação foi feita à Angop hoje, sexta-feira, na cidade do Huambo, pelo secretário executivo da Associação Centro dos Adventistas do 7º Dia, Reverendo Adriano Tomé.

Reagindo aos recentes escândalos envolvendo pastores, em Benguela e Luanda, explicou que o exercício pastoral deve estar fundamentado na aceitação da doutrina e numa relação de elevada confiança com os membros.

“A relação entre o pastor e o membro da igreja deve ser, essencialmente, de pai e filho, na base do ensino e do estudo da palavra de Deus, para a busca da transformação, conversão e do perdão, tendo em conta o papel decisivo do pastor na indicação do caminho para a salvação, além de guardião da moral social”, argumentou.

O reverendo Adriano Tomé disse que a igreja, enquanto instituição humana, é uma importante escola, impondo aos pastores atitudes decentes, baseadas na Bíblia Sagrada.

Também disse que os pastores têm a responsabilidade de cultivar o amor ao próximo, o perdão, o respeito, a justiça e a solidariedade, para a edificação de uma sociedade livre das injustiças sociais, da delinquência e da violência.

“Devemos admitir que, também, existem supostos pastores, ou seja, aqueles que usam a igreja para extorquir bens dos cidadãos ou enganá-los doutra forma, práticas estas que devem ser combatidas por todos, uma vez que o pastor, enquanto guardião da moral social, deve ser o factor da união e da tranquilidade e não do desconforto social”, disse, alertando ainda a sociedade a não se deixar enganar, pois “nem tudo que brilha é ouro”.

Sublinhou que o trabalho do pastor repercute-se na vida espiritual do membro, correspondendo, deste modo, às expectativas da igreja, como promotora de boas práticas sociais.

No caso particular da denominação religiosa da qual é membro, Adriano Tomé deu a conhecer que para ser pastor é necessário frequentar a Faculdade de Teologia, seguido de um estágio de dois anos, na companhia de um pastor adulto e moralista, que, depois de avaliar todo desempenho, encaminha o candidato para a ordenação, de modo a que tenha domínio de liderança, quer espiritual, quer social.

A Associação Centro dos Adventista do 7º Dia, que abarca as províncias do Huambo, Bié, Benguela e Cuanza Sul, controla perto de 159 mil membros e 648 templos de adoração.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também