Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

11 Fevereiro de 2018 | 18h22 - Actualizado em 11 Fevereiro de 2018 | 18h21

Melhorias sociais precisam-se nos Luchazes - População

Cangamba - A população do município do Luchazes, sudoeste do Luena, capital do Moxico, solicitaram hoje, domingo, ao Governo Provincial, um maior investimento nos sectores económico e social da região, para devolver-lhes a qualidade de vida.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A população manifestou tal desejo, durante um encontro promovido pelo governador, Gonçalves Muandumba, na sequência de uma visita de trabalho de dois dias que efectua na região que dista 347 quilómetros do Luena, no quadro da governação participativa e inclusiva.

Durante o encontro, André Manuel, professor do ensino primário, manifestou-se preocupado com a falta de medicamentos, médicos e enfermeiros, nas unidades hospitalares locais.

O professor quer “rápida” solução das suas preocupações, que, na verdade, afecta todos, num município de mais de 14 mil habitantes, e com vias de acesso degradadas.

A estudante Telma Chissola João, a estudar 8ª classe, sugeriu a criação de espaços recreativos a nível da circunscrição para melhor ocupação dos tempos  livres dos petizes.

Walter Daní, outro estudante, mostrou-se insatisfeito com a falta de energia eléctrica no município, tanto da ligação domiciliar como iluminação pública, assim como, do sinal da Rádio Nacional de Angola (RNA).

Por sua vez, o soba Pedro Calenga, pediu mais valorização das autoridades tradicionais e aumento da sua pensão e dos antigos combatentes.

Enquanto Mateia Canguanda, também autoridade tradicional, espera ver melhorada a estrada do município que liga a cidade capital da província do Moxico (Luena), actualmente “degradada profundamente”.

O governador do Moxico, Gonçalves Muandumba, comprometeu-se a resolver os problemas para melhoria dos serviços sociais básicos.

A circunscrição, habitada por 14 mil 451 pessoas, num espaço de 43.180 km2, dista 347 quilómetros a sudoeste da cidade do Luena, se subdivide em quatro comunas, nomeadamente, Tempué, Muié, Cassamba e Cangombe, e faz fronteira com as províncias do Bié e Cuando Cubango, a oeste e sul, e os municípios do Moxico (sede) e Bundas, a norte e leste, respectivamente.  

Leia também
  • 08/11/2018 17:46:00

    Responsável sugere cooperativas numa única entidade

    Ndalatando - A necessidade da criação de uma única entidade que congregue todos os ramos do cooperativismo para melhor organização e defesa dos seus direitos foi defendida, hoje (quinta-feira), em Ndalatando, Cuanza Norte, pela vice-presidente da Federação das Associações de Camponeses e Cooperativas Agropecuárias de Angola (Unaca), Ricardina Machado.

  • 08/11/2018 17:31:48

    APROSOC facilita registo de 400 menores de cinco anos

    Luena - Quatrocentas menores vulneráveis, de cinco anos de idade, da comuna do Lucusse, província do Moxico, beneficiaram, de Julho até a presente data, de registo de nascimento gratuito e vacinas contra o tétano e a pólio, no âmbito do Projecto de Apoio à Protecção Social (APROSOC).

  • 08/11/2018 17:24:09

    Anciã morre por Descarga atmosférica no Cuvango

    Cuvango - Uma anciã de 75 anos de idade morreu, quarta-feira, vítima de descarga atmosférica, no município do Cuvango, província da Huíla, informou hoje, quinta-feira, no Lubango, o porta-voz do Comando Provincial dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiro, Inocêncio Hungulo.

  • 08/11/2018 17:15:30

    Paz exercício de soberania e segurança - diz responsável

    Luanda - A construção da paz é um exercício de soberania e de segurança nacional, por constituir a base para a defesa e preservação do bem comum, cujo objectivo fundamental deverá ser dotado as crianças e adultos, considerou hoje, quarta-feira, em Luanda, o director-geral da Fundação Eduardo dos Santos (FESA), João de Deus.