Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

16 Abril de 2018 | 15h38 - Actualizado em 16 Abril de 2018 | 15h38

Primeira Bíblia em Nyaneka vai ser lançada esta semana no Lubango

Lubango - A primeira Bíblia em língua nacional Nyaneka Nkumbi, na versão do subgrupo étnico "Muila", predominante na província da Huíla, vai ser lançada a público quinta-feira, no Lubango, uma iniciativa conjunta de várias congregações religiosas, fez saber hoje (segunda-feira) o coordenador do Comitéde Tradução, reverendo Dinis Marcolino Eurico.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huíla: Reverendo Dinis Eurico, presidente da IESA

Foto: Morais Silva

Em declarações à Angop, o reverendo Dinis Marcolino Eurico afirmou que, desde 1998, o “aturado” processo teve o envolvimento das Igrejas Católica, Evangélica e Adventista do 7º Dia.

Admitiu que o trabalho foi “complexo”, mas está concluído, graças ao empenho e persistência dos envolvidos, pelo que na quinta-feira será lançada a primeira versão do “Livro Sagrado”, traduzido em Nyaneka.

O também pastor e presidente da Igreja Evangélica Sinodal de Angola (IESA) afirmou ser necessário unir todas as congregações, para que se obtivesse o maior consenso possível, por isso demorou “muito” tempo a tradução da Bíblia.

Numa primeira fase, estão impressas mil unidades, editadas na África do Sul e que já se encontram no Lubango, abrindo-se a possibilidade de produzir-se mais, caso haja aceitabilidade dos fiéis.

“Deus quer que cada povo ouça a palavra de Deus na sua língua materna, pelo que faltava esse instrumento na língua Nyaneka”, frisou o reverendo Dinis Eurico.

 A língua Nyaneka Nkumbi é utilizada para designar um conjunto de etnias agro-pastoris do sul de Angola, localizadas na sua maior parte na província da Huíla. A maior parte deles aderiu ao Cristianismo, com maior realce para a Igreja Católica, no período colonial, embora pratiquem uma dualidade de cultos, já que alguns mantêm as suas práticas ancestrais.

Leia também
  • 16/04/2018 15:09:44

    Tocoistas celebram 17 de Abril com palestra

    Luanda - A realização de uma palestra sobre os desafios da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo ( Tocoista), e o relançamento da enciclopédia Tocoista marcam a jornada das comemorações do 83º aniversário da teofania que se assinala a 17 de Abril.

  • 15/04/2018 15:55:55

    Pároco exorta fiéis a evitar o egoísmo

    Lubango - O pároco da Sé Catedral do Lubango, padre Simeão Kaita, apelou, hoje, domingo, os fiéis a deixarem os caminhos do egoísmo, orgulho e de comodismo e a buscarem práticas mais abonatórias para a paz comum.

  • 14/04/2018 18:27:28

    ISCED e CFM apresentam património material e imaterial

    Lubango - O Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED-Huíla) e o Caminho de Ferro de Moçâmedes (CMF) apresentaram, hoje (sábado) numa das unidades hoteleiras do Lubango, uma exposição sobre o património material e imaterial das duas instituições, com vista a criação de Museu de Ciências e Tecnologias, na Região Sul do Pais.