Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

12 Junho de 2018 | 17h00 - Actualizado em 12 Junho de 2018 | 17h00

Casos de fuga à paternidade reduzem no Soyo

Soyo - Dez casos de fuga à paternidade foram registados de Janeiro a Maio deste ano, no município do Soyo, província do Zaire, pelo Instituto Nacional da Criança (INAC), contra as vinte ocorrências notificadas nos cinco primeiros meses do ano passado.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Zaire: Justina Maria Sebastião - Responsável do INAC no Soyo

Foto: João F. Cuti

A informação foi prestada hoje à imprensa, pela responsável do INAC no Soyo, Justina Maria Sebastião, no âmbito do Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, que nesta terça-feira (12) se assinala.

Segundo a fonte, a redução dos casos deve-se as constantes campanhas de sensibilização que a sua instituição em parceria com parceiros tem levado a cabo junto das comunidades locais.

Apelou aos pais e demais encarregados de educação a continuarem a cumprir com a sua responsabilidade, prestando todo o apoio e carinho a criança, visando garantir o seu desenvolvimento harmonioso.

No entanto, a responsável mostrou-se preocupada com os casos de gravidezes precoces em adolescentes com idades entre os 14 e 17 anos.

Informou que de Janeiro a Maio do corrente ano foram registadas, no município do Soyo, cem casos de gravidezes precoces, cifra que poderá vir a superar, até ao final do ano, as 125 ocorrências notificados em 2017.

Apontou a pobreza, a falta de diálogo entre os pais e a má interpretação do fenómeno “globalização” como as principais causas de gravidezes precoces na localidade.

Assuntos Criança   Província » Zaire  

Leia também