Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

12 Junho de 2018 | 13h58 - Actualizado em 12 Junho de 2018 | 13h58

Jovens devem participar na resolução dos seus problemas

Ondjiva - Os jovens devem ser participes e factor crucial para resolução dos vários problemas que os afecta considerou hoje, terça-feira, em Ondjiva, província do Cunene, a ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Sacramento Neto.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Ana Paula Sacramento Neto - Ministra da Juventude e Desportos

Foto: Arquivo

A governante teceu essas considerações no acto de abertura do VI Conselho Superior da Juventude, a decorrer de 12 a 13 deste mês, referindo que qualquer estratégia e política do Executivo para atender os vários anseios dos jovens deve sempre ter em conta a juventude.

Ana Paula Neto lembrou ser orientação do presidente da República, João Lourenço, que toda concepção e execução de políticas a nível do governo angolano, vocacionada a juventude devem primeiro dialogar com as plataformas juvenis, na busca de consenso e realizações que se adequa as reais necessidades.

A realização regular dos conselhos superior da juventude é uma clara demonstração dessa preocupação e, ter sempre o jovem no meio das políticas para o crescimento e desenvolvimento socio-económico do país é importante, realçou a ministra.

Já, o governador da província do Cunene, Kundi Paihama, presente no acto, disse que os desafios actuais do país, tendo em vista as autarquias locais previstas para 2020 e a necessidade do desenvolvimento, exigem uma juventude mais comprometida e responsável.

Por seu turno, o presidente do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), António Tingão Mateus, sublinhou a necessidade da participação activa dos jovens no desenvolvimento do país, sendo estes factores de mudança e continuidade dos intentos para uma Angola mais próspera.

António Mateus apelou também ao Executivo angolano para reforço do diálogo permanente e franco, tendo em vista o novo paradigma do país, onde o desenvolvimento económico é a principal premissa do Estado.

O certame tem como lema “Juventude inserida na vida activa, futuro garantido” e está abordar entre as várias questões avaliação do grau de cumprimento do Plano Nacional de Desenvolvimento da Juventude 2014/2017, perspectivar a projecção das acções do quinquénio 2018 – 2022 e as experiências e resultados do primeiro ano de implementação do PROJOVEM.

O Conselho Superior da Juventude é um  órgão de consulta para as tarefas de concepção e elaboração das políticas e estratégias do Estado para a juventude e de coordenação de programas e projectos interdisciplinares que envolvem diferentes organismos do Estado e de Organizações da Sociedade Civil,  visando a melhoria da qualidade de vida da juventude angolana.

Leia também
  • 12/06/2018 17:51:53

    Vice-líder da extinta seita religiosa Luz do Mundo começa a ser julgado

    Huambo - O vice-líder e secretário da extinta seita religiosa Luz do Mundo, Justino Tchipango, começou a ser julgado hoje, terça-feira, no tribunal da província do Huambo, pelos massacres ocorridos a 16 de Abril de 2015, praticados por membros da seita.

  • 12/06/2018 13:53:26

    Angola reforça acções para erradicação do trabalho infantil

    Luanda - Para erradicação do trabalho infantil no país os ministérios do Trabalho (MAPTSS) e da Acção Social (MASFAMU) elaboram um Plano de Acção Nacional (PANETI 2018-2022), que visa a tomada de medidas que facilitam a tarefa dos distintos agentes na aplicação prática dos direitos da criança.

  • 12/06/2018 07:51:27

    INAC quer mais diálogo na sociedade no combate à fuga à paternidade

    Dondo - A directora provincial do Cuanza Norte do Instituto Nacional da Criança (INAC), Angélica Cudiongina, pediu segunda-feira, no Dondo, município de Cambambe, aos membros das organizações da sociedade civil, a dialogarem mais com a juventude, visando o combater à fuga à paternidade.