Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

14 Junho de 2018 | 11h16 - Actualizado em 14 Junho de 2018 | 11h16

Municipalização da Acção Social em implementação no Moxico

Lucusse - O programa de municipalização da Acção Social, que visa apoiar pessoas em situação de vulnerabilidade no país, foi lançado quarta-feira, na comuna do Lucusse, 133 quilómetros a sul da cidade do Luena, província do Moxico.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Moxico: CASI recebe meios para o Apoio do Programa de Municipalização da Acção Social

Foto: kinda kyungu

Gonçalves Muandumba - Governador provincial do Moxico

Foto: kinda kyungu

Para se acomodar as pessoas com maior vulnerabilidade social nesta localidade e consequente cadastramento, foi inaugurado um Centro de Acção Social Integrado (CASI), pelo governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba.

O centro comporta, entre outras, uma sala de registo e outra de atendimento personalizado aos membros da comunidade.

Apoiado com fundos da União Europeia (UE), para o governador, o programa vai permitir a constatação e conhecimento de pessoas que vivem em situação de pobreza e seguidamente dar-se o devido apoio.

Na óptica da ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Vitória Correia da Conceição, responsável pela implementação do programa, o mesmo se encaixa nos 17 objectivos de desenvolvimento sustentável, cuja agenda está virada para a erradicação da pobreza e ao desenvolvimento económico, social e ambiental até 2030.

Na província do Moxico, continuou, o programa vai beneficiar duas mil e quinhentas crianças nos próximos dois anos, através de transferências monetárias.

A meta é alargar o projecto em todas as regiões do país, para se dar respostas eficazes ao valor e dignidade das famílias.

Já o representante da União Europeia (UE), Daniel Kamalandua, destacou o facto de Angola estar a materializar os compromissos assumidos no sector social, através da transferência de competências para os municípios, erradicando-se a pobreza e desenvolvimento sustentável entre a população.

Explicou que a contribuição da União Europeia ao projecto de Apoio à Protecção Social em Angola (APROSOC), actualmente em execução nos municípios da província (Camanongue e Moxico), coaduna com os objectivos e políticas da instituição, para a melhoria das condições de vida das comunidades.

O regedor da comuna do Lucusse, Mutoxi Coríntio, prometeu redobrar esforços para identificarem os problemas enfrentados pelas famílias e encaminharem ao Centro de Acção Social Integrado. “Uma delas é o das crianças que estão fora do sistema de ensino por falta de documentação”.

Leia também
  • 11/11/2018 09:09:01

    Governo aposta no resgate das profissões

    Cuito - O governo do Bié vai, a partir do próximo ano, apoiar as pequenas iniciativas de jovens empreendedores com iniciativas de alavancar a economia da região e, fundamentalmente, garantir emprego à juventude.

  • 11/11/2018 08:28:25

    Metade das residências do Quilomoço entregue aos respectivos moradores

    Uíge - Quinhentas e cinco residências da centralidade Horizonte do Quilomoço, na cidade do Uíge, foram entregues aos moradores, desde o passado mês de Agosto, data de início do processo de comercialização.

  • 11/11/2018 07:53:15

    Ex-Leprosaria da Funda regista 50 novos casos em nove meses

    Luanda - A ex-Leprosaria da comuna da Funda, município de Cacuaco, diagnosticou, de Janeiro a Setembro de 2018, 50 novos casos de lepra, deu a conhecer hoje, quinta-feira, em Luanda, o administrador do actual Centro de Saúde e Reabilitação da Funda, Joaquim Imperial Santana.

  • 08/11/2018 17:46:00

    Responsável sugere cooperativas numa única entidade

    Ndalatando - A necessidade da criação de uma única entidade que congregue todos os ramos do cooperativismo para melhor organização e defesa dos seus direitos foi defendida, hoje (quinta-feira), em Ndalatando, Cuanza Norte, pela vice-presidente da Federação das Associações de Camponeses e Cooperativas Agropecuárias de Angola (Unaca), Ricardina Machado.