Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

12 Outubro de 2018 | 11h41 - Actualizado em 12 Outubro de 2018 | 16h02

Ciúme causa em média duas mortes em cada sete dias

Lubango - Dois a três homicídios motivados por questões passionais são semanalmente registados na província da Huíla, segundo dados da Polícia Nacional, que indicam as mulheres como principais vítimas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huíla: Via-expresso cidade -aeroporto

Foto: morais silva

Dados do primeiro semestre do corrente ano, fornecidos pelo Comando Provincial da Polícia Nacional na Huíla, dos 69 homicídios registados, 59 são por questões passionais.

Os números indicam haver uma média de dois casos por semana. Por exemplo, nos últimos sete dias foram registados cinco assassinatos, sendo que três são pelas mesmas razões. A idade das vítimas varia dos 35 a 70 anos, segundo o relatório chegado nesta sexta-feira a Angop.

Entrevistado pela Angop, o sociólogo Gabriel Chipalanga, alerta à necessidade de um estudo profundo sobre a questão, para encontrarem-se medidas de prevenção.

Segundo o académico, é uma situação que está quase sempre ligada a traições, que acabam se traduzindo em ódio, ciúme, desconfianças e ligados a razões culturais, assim como uma união sem afecto só por bens materiais.

"Nos dias de hoje, nós observamos relacionamentos não afectivos, virados mais para vertente social, económico, cultural e político, levando que um dos cônjuges, pela fraca capacidade de diálogo, a cometer homicídio", referiu.

Os primeiros passos de um relacionamento, segundo o estudioso, caracterizam-se por várias promessas e quando não se concretizam caem no ódio e este vai gerar outros conflitos, por isso dentro de um relacionamento deve existir partilha de ideias e metas a atingir, sempre baseado no respeito mútuo de modo a evitar casos do género.

“Para realizarmos um casamento, primeiro temos que ter um sentimento, depois temos que reflectir, vou casar para crescer, para cooperar, para formar uma família e não casar para depois cometer assassinato”, realçou.

Segundo a fonte, no passado haviam famílias monoparentais oriundas de guerras, hoje existem famílias monoparentais oriundas de separação e de homicídios, e dentro deste estilo de família a vezes a gestão é mais difícil pela falta de um dos cônjuges.

Por esta razão recomendou que as famílias cooperem, partilhem, planifiquem mais e cresçam unidas para que a sociedade se fortifique.

O sociólogo recomenda a igreja a não perder de vista o seu papel preponderante, que consiste na manutenção das famílias e consequentemente da sociedade.

Assuntos Província » Huíla  

Leia também
  • 11/10/2018 15:02:37

    Antigos Combatentes na Huíla clamam por aumento de pensão

    Lubango - Os Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria consideraram hoje, quinta-feira, no Lubango, "insignificante a pensão de 23.558.12 Kwanzas entregue mensalmente atendendo ao actual contexto, pelo que solicitam ao ministério de tutela, um incremento para 80 ou cem mil Kwanzas.

  • 11/10/2018 10:37:57

    Ministério dos Antigos Combatentes certifica 14 mil novos processos de assistidos

    Lubango - Catorze mil processos, dos 26 mil recenseados pelo Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, foram, este mês, homologados para beneficiar novos pensionistas, afirmou hoje, quinta-feira, no Lubango, o ministro João Ernesto dos Santos.

  • 10/10/2018 19:40:34

    Mais 300 agregados familiares inqueridos pelo INE na Huíla

    Lubango - Pelo menos 390 agregados familiares, de 624 seleccionados para o inquérito sobre Despesas, Receitas e Emprego em Angola (IDREA), na província da Huíla, foram já inqueridos, de cinco de Março a Outubro do corrente ano, pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).