Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

12 Outubro de 2018 | 11h41 - Actualizado em 12 Outubro de 2018 | 16h02

Ciúme causa em média duas mortes em cada sete dias

Lubango - Dois a três homicídios motivados por questões passionais são semanalmente registados na província da Huíla, segundo dados da Polícia Nacional, que indicam as mulheres como principais vítimas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huíla: Via-expresso cidade -aeroporto

Foto: morais silva

Dados do primeiro semestre do corrente ano, fornecidos pelo Comando Provincial da Polícia Nacional na Huíla, dos 69 homicídios registados, 59 são por questões passionais.

Os números indicam haver uma média de dois casos por semana. Por exemplo, nos últimos sete dias foram registados cinco assassinatos, sendo que três são pelas mesmas razões. A idade das vítimas varia dos 35 a 70 anos, segundo o relatório chegado nesta sexta-feira a Angop.

Entrevistado pela Angop, o sociólogo Gabriel Chipalanga, alerta à necessidade de um estudo profundo sobre a questão, para encontrarem-se medidas de prevenção.

Segundo o académico, é uma situação que está quase sempre ligada a traições, que acabam se traduzindo em ódio, ciúme, desconfianças e ligados a razões culturais, assim como uma união sem afecto só por bens materiais.

"Nos dias de hoje, nós observamos relacionamentos não afectivos, virados mais para vertente social, económico, cultural e político, levando que um dos cônjuges, pela fraca capacidade de diálogo, a cometer homicídio", referiu.

Os primeiros passos de um relacionamento, segundo o estudioso, caracterizam-se por várias promessas e quando não se concretizam caem no ódio e este vai gerar outros conflitos, por isso dentro de um relacionamento deve existir partilha de ideias e metas a atingir, sempre baseado no respeito mútuo de modo a evitar casos do género.

“Para realizarmos um casamento, primeiro temos que ter um sentimento, depois temos que reflectir, vou casar para crescer, para cooperar, para formar uma família e não casar para depois cometer assassinato”, realçou.

Segundo a fonte, no passado haviam famílias monoparentais oriundas de guerras, hoje existem famílias monoparentais oriundas de separação e de homicídios, e dentro deste estilo de família a vezes a gestão é mais difícil pela falta de um dos cônjuges.

Por esta razão recomendou que as famílias cooperem, partilhem, planifiquem mais e cresçam unidas para que a sociedade se fortifique.

O sociólogo recomenda a igreja a não perder de vista o seu papel preponderante, que consiste na manutenção das famílias e consequentemente da sociedade.

Assuntos Província » Huíla  

Leia também
  • 06/02/2019 07:51:56

    Construídos seis reservatórios de retenção de águas pluviais nos Gambos

    Lubango - Seis reservatórios com capacidade para armazenar entre 52 a 62 mil metros cúbicos de águas pluviais, para responder aos períodos de seca, foram construídos em 2018 em três localidades do município dos Gambos, pela ADRA- Antena Huíla e Cunene, no âmbito do projecto de Fortalecimento da Resiliência e Segurança Alimentar Nutricional (FRESAN).

  • 05/02/2019 16:06:23

    Militar das FAA morto a tiro na Matala

    Matala - Um militar das Forças Armadas Angolanas (FAA), de 37 de anos de idade, afecto ao Batalhão de Logística, foi morto a tiro, domingo (3), por meliantes ainda não identificados, no bairro Calumbiro, no município da Matala, província da Huíla.

  • 03/02/2019 12:53:13

    Cidadã de 18 anos de idade violada por três homens no Lubango

    Lubango - Uma cidadã de 18 anos de idade foi violada por três indivíduos desconhecidos na noite de sábado, no município do Lubango, província da Huíla, informou hoje, domingo, o porta-voz da Polícia Nacional na Huíla, inspector-chefe Luís Filipe Zilungo.

  • 01/02/2019 00:38:55

    Mais de 130 casos de violência doméstica registados na Matala

    Matala - Cento e 34 casos de violência doméstica foram registados no município da Matala, província da Huíla, durante o ano de 2018, 63 a menos que no ano anterior, informou quinta-feira a chefe de Secção da Acção Social Familia e Promoção da Mulher Lúcia Ndjiloy.