Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

27 Maio de 2019 | 09h26 - Actualizado em 27 Maio de 2019 | 09h25

Energia de Cambambe estabiliza fornecimento em Benguela

Lobito - Os setenta megawatts de energia que Benguela começou a receber da barragem de Cambambe, após a interligação ao sistema norte, trouxeram estabilidade no fornecimento ao litoral da província, segundo o director da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE), Baptista Assis.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Barragem de Cambambe

Foto: Pedro Parente

Falando a propósito da ligação ao sistema eléctrico norte, desde 22 deste mês, Baptista Assis ressaltou o problema de restrições nas cidades do Lobito, Catumbela, Benguela e Baía Farta, no litoral, para referir que, com a energia de Cambambe, haverá mais estabilidade na rede de distribuição.

Para o responsável, os 70 megawatts provenientes da barragem de Cambambe, no Cuanza Norte, são, sem dúvida, importantes para a estabilidade da situação energética da província de Benguela, principalmente da sua região litoral.

Além de Cambambe, o director da ENDE explicou que o resto do fornecimento está distribuído entre a  barragem  do Lomaum, no município do Cubal, com  20 porcento e a estação térmica da Kileva, no Lobito, que fica apenas com dez por cento.

Ironizando, Baptista Assis enfatizou, na ocasião, em que aproveitou para apresentar o quadro actual da empresa, que “as pessoas vão ter saudades do vai e vem da energia”.

Também lembrou que as cidades do litoral sofreram restrições de 20 de Abril a 21 de Maio, principalmente devido à falta de gasóleo, usado na estação térmica da Kileva, no Lobito, resultante da crise de combustível vivida em todo o país.

“Com a entrada em funcionamento da nova subestação do Lobito, serão recuperadas as linhas originais, da era colonial, e a partir dali, já não será necessário o uso da estação térmica da Kileva”, acrescentou.

Em relação à área comercial, o gestor da ENDE revelou que num período de estabilidade a empresa chegou a uma facturação máxima de 308 milhões de kwanzas, valores que, no período de 20 de Abril a 21 de Maio, baixaram para cerca de 150 milhões de kwanzas, devido aos sucessivos cortes de energia.

Com a estabilidade no abastecimento de energia, a ENDE pretende recuperar a confiança que perdeu junto aos clientes e espera que retomem o pagamento regular do consumo, segundo Baptista Assis.

Quanto aos projectos relacionados com a linha de crédito da China, o director afirmou que  a subestação  do Lobito está na fase terminal, enquanto a da Baía Farta já está em funcionamento.

A subestação de Benguela, bem como os seus transformadores, foram transferidos para o Cavaco por questões de espaço, deixando apenas um Ponto de Secção (PS) que transforma a energia de alta para média tensão.

Com a interligação à barragem de Cambambe, Benguela deixa para trás um longo período de forte dependência de fontes térmicas para a produção de energia, o que permite ao Estado poupar 16 mil milhões de kwanzas mensais, com a redução dos cerca de 500 mil litros de gasóleo/dia.

Dos 108 mil consumidores de energia eléctrica controlados pela ENDE na província de Benguela, 23 mil são do sistema pré-pago.

Leia também
  • 26/05/2019 10:48:41

    Protecção da criança analisada em Benguela

    Benguela - Um encontro de reflexão sobre a protecção de menores marcou este sábado, na cidade de Benguela, a abertura da jornada alusiva ao mês da criança, que vai decorrer até final de Junho sob lema: "A protecção da criança começa na família".

  • 25/05/2019 20:58:32

    Manifestantes exigem demissão do governador de Benguela

    Benguela - Mais de quatro centenas de jovens auto-denominados ''revolucionários'' manifestaram-se, neste sábado, na cidade de Benguela, contra a liderança do governador provincial, Rui Falcão, por alegada ''má gestão da província''.

  • 25/05/2019 18:40:51

    Chuvas em Benguela matam 63 pessoas entre Março e Abril deste ano

    Lobito - Sessenta e três pessoas perderam a vida e outras cinquenta e duas ficaram feridas, devido às chuvas, acompanhadas de fortes ventos e raios, que atingiram a província de Benguela, entre Março e Abril deste ano, afectando ainda 1.109 casas, segundo dados da Protecção Civil e Bombeiros.