Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

21 Fevereiro de 2020 | 11h03 - Actualizado em 21 Fevereiro de 2020 | 11h03

População mata supostos ladrões no Huambo

Huambo - Dois mortos, um ferido e quatro desaparecidos é o resultado de uma agressão de que foi vítima um grupo de supostos ladrões na última segunda-feira (17) nas imediações do perímetro florestal do Sacaála, arredores da cidade do Huambo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A informação foi avançada quinta-feira, em conferência de imprensa, pelo porta-voz da delegação do Ministério do Interior na província do Huambo, Martinho Kavita Satito.

A fonte informou que as vítimas foram surpreendidas pela população supostamente furtavam milho numa lavra próximo ao rio Kõssui, na zona limítrofe entre a comuna da Calima ao sector das Cacilhas, nas imediações do perímetro florestal do Sacaála.

Martinho Satito referiu que sete dos supostos ladrões foram capturados pela população, que ao invés de os levar a uma esquadra da Polícia Nacional, optaram por espancá-los.

"O Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, em coordenação com o Serviço de Investigação Criminal, removeu dois corpos, um dos quais já identificado, além de ter encontrado um cidadão com vida e que recebe tratamento ambulatório, enquanto de corre o processo de busca e resgate dos outros", acrescentou.

Martinho Satito informou que diligências estão a ser realizadas para a identificação dos autores do  crime, que terá vitimado mortalmente seis pessoas, embora ainda não se tenha a confirmação.

Por este facto, o também intendente da Polícia Nacional exortou a população a não praticar justiça por mãos próprias, sob pena de incorrerem a crimes graves.

Enfatizou que estes actos, sobretudo os que resultam em morte, prejudicam a convivência a comunitária.

Leia também