Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Transporte

06 Junho de 2018 | 11h35 - Actualizado em 06 Junho de 2018 | 11h33

Prejuízos ditam fim dos voos da British Airways

Luanda - Prejuízos de ordem operacional, entre outras razões, ditaram o fim das operações da British Airways para Angola, revelou hoje, em Luanda, o director de vendas da companhia, Oliveira Campos.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Dístico da companhia aérea britânica, British Airways

Em declarações à Angop, mas sem enumerar valores sobre receitas e prejuízos, Oliveira Campos esclareceu que a situação, que levou a British a deixar o mercado angolano, se acentuou a partir de 2015.

Apontou a falta de passageiros na rota Luanda/Londres e vice-versa como “a principal causa da decisão”, associada à actual crise económico-financeira mundial que reduziu as fontes de receitas e de captação de divisas para a companhia.

“O aparelho que vem para Angola possui 217 lugares, e, ultimamente, apenas transportamos entre 40 a 60 passageiros, o que é economicamente inviável (…)”,  justificou.

Para o quadro da British, utilizar apenas um terço da capacidade de transportação do aparelho, em termos de operação de voo e de custos, não é viável, além do facto de Londres ser uma cidade pouco comercial, ao contrário do Rio de Janeiro, São Paulo, Dubai ou algumas localidades da China.

Apontou a necessidade de visto de entrada para o Reino Unido, para os angolanos que viajam em trânsito, como um dos factores que pesaram na redução de passageiros.

O director de vendas da British Airwys em Luanda confirma que o último voo da companhia para Angola partirá de Londres/Heathrow com destino a Luanda quinta-feira e tem regresso marcado para sábado, dia 9 de Junho.

Em Junho de 2016, a companhia espanhola Iberia, que também integra o Grupo IAG, deixou de voar para Luanda, também por falta de passageiros.

O grupo IAG (International Airlines Group), cujo principal accionista é, actualmente, a Qatar Airways, foi fundado há sete anos, na sequência da fusão da britânica British Airways e da espanhola Iberia, que se uniram na compra das acções da Vueling, Aer Lingus y Level.

 

 

Assuntos Aeronáutica   Companhias  

Leia também
  • 29/10/2018 13:38:02

    TAAG com novo horário de inverno

    Luanda - A TAAG, Linhas Aéreas de Angola S.A, opera desde domingo último, 28, com novo horário de inverno, em cumprimento de uma obrigação da IATA (Associação Internacional de Transportes Aéreos), nas rotas doméstica, regional e intercontinental.

  • 03/08/2018 14:43:07

    Passageiros protestam contra adiamento do voo da Air Maroc

    Luanda - Passageiros de diferentes nacionalidades manifestaram-se, na manhã desta sexta-feira, no aeroporto de Luanda, contra o adiamento, sem aviso prévio, do voo da companhia Royal Air Maroc, que deveria sair de Luanda para Casablanca na noite de quinta-feira.

  • 26/07/2018 19:36:32

    TAAG reforça mercado regional em busca de lucro

    Luanda - A TAAG, Linhas Aéreas de Angola, poderá adoptar medidas "mais agressivas" no mercado regional, visando a sua rentabilização, afirmou hoje (quinta-feira), em Luanda, o Presidente do Conselho de Administração da companhia, José Kuvíngua

  • 26/07/2018 17:26:46

    ICAO realiza auditorias em Luanda

    Luanda - Uma auditoria, no âmbito do Programa Universal de Supervisão e de Segurança, está a ser realizada, desde segunda-feira no aeroporto de Luanda, pela Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO), revelou hoje o director geral do INAVIC, Rui Carreira.