Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

30 Outubro de 2020 | 09h36 - Actualizado em 30 Outubro de 2020 | 10h25

Calcários da Huíla produz dez mil toneladas para correcção de solos

Lubango - A fábrica Calcários da Huíla coloca, anualmente, no mercado dez mil toneladas de calcário dolomítico para correcção de solos, melhorando os rendimentos agrícolas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Fábrica de Calcários

Foto: Amélia Oliveira

Trata-se da única empresa do género a nível da região sul, que atende també às províncias do Huambo e do Bié, instalada no município da Humpata, que está funcional desde Setembro de 2011, fruto de um financiamento do Banco Angolano de Investimentos (BAI), em 2009,  no valor de um milhão e 800 mil dólares, dos cinco milhões previstos.

A fábrica tem  capacidade para produção de 20 mil toneladas ano de calcário dolomítico, mas com uma produção de apenas  50%, já que ainda aguarda o financiamento complementar para ampliar a linha da produção.

Para além do calcário estão a produzir a cal hidráulica, para os mercados da Huíla, Benguela e Namibe, cal hidratada para a Huíla e o carbonato de cálcio para Luanda, este último destinado à ração animal, fundamentalmente em aviários.

A produção anual dos referidos produtos cinge-se em 10 mil toneladas de calcário, 100 toneladas de cal hidratada, uma média de 500 de carbonato de cálcio, ao passo que a cal hidráulica é produzida em função da procura do produto.

A empresa tem em stock 300 toneladas de calcário dolomítico e 100 de cal hidráulica.

A Calcários da Huíla trabalha com dois tipos de rochas, nomeadamente a dolomítica (na qual é tirada o calcário e cal hidráulica) e a calcítica (cal hidratada e carbonato de cálcio), sendo que posteriormente a empresa pensa em alargar para mais outros produtos.

Em declarações à Angop, o sócio-gerente da empresa, João Teixeira, afirmou que a falta de poder de compra, aliada ao desconhecimento do produto desde a altura em que a fábrica começou a funcionar, as receitas obridas estão aquém dos custos operacionais.

Com o financiamento incompleto para concluir a empresa, avançou, nunca tiveram uma central de britagem necessária para a fábrica, daí que não conseguem atingir a capacidade de produção instalada.

Frisou que trabalham com dois moinhos, um com capacidade de 30 toneladas dia e outro com capacidade de 60, estando em falta moinhos, pás carregadoras, giratórias, central de britagem e algumas viaturas para movimentação das rochas, pois estão instalados a dois quilómetros da área de extracção.

Até o momento, salientou, já investiram três milhões de dólares no projecto.

A fábrica labora com 30 trabalhadores efectivos e em épocas com muita procura admitem entre 30 a 40 eventuais, mas pretendem chegar a uma força de trabalho fixa de 100 pessoas, dando primazia à comunidade local.

O estaleiro está instalado numa área de um milhão de metros quadrados (100 hectares), com um raio de 500 metros no mínimo das casas vizinhas, ao passo que a área de extracção é de três milhões de metros quadrados (300 hectares), com um tempo de vida útil de 229 anos para exploração.

Leia também
  • 29/10/2020 11:54:51

    Huíla: Agricultura identifica campos agrícolas subaproveitados

    Chibia - O gabinete provincial da Agricultura, Pecuária e Pescas da Huíla começou este mês a identificar terras agricultáveis subaproveitadas, a fim de as repassar a investidores capazes de tirar melhor proveito, sobretudo nos três perímetros irrigados da província.

  • 28/10/2020 21:34:57

    Huíla recebe cem toneladas de sementes de milho para campanha

    Chibia - Pelo menos cem toneladas de semente de milho estão disponíveis para primeira fase da Campanha Agrícola 2020/2021, que estão a ser distribuídas em mais de 200 mil famílias, pelo gabinete provincial da Agricultura e organizações sem fins lucrativos, através do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA).

  • 27/10/2020 08:32:00

    REMPE cadastra mais de quatro mil empresas

    Lubango - Pelo menos quatro mil e 429 empresas, de três mil e 200 previstas, com destaque para as do ramo do comércio e prestação de serviço foram cadastradas na província, no âmbito do Recenseamento de Empresas e Estabelecimentos (REMPE) na Huíla, iniciado a 14 de Setembro último.